Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Miguel Macedo demite-se na sequência das investigações aos vistos gold

Wikimedia commons
Wikimedia commons
Autor: Redação

O ministro da Administração Interna, Miguel Macedo, anunciou este domingo que pediu a demissão do Governo, que foi aceite pelo primeiro-ministro Pedro Passos Coelho. Miguel Macedo deixa o Executivo porque considerou que a sua autoridade ficou diminuída na sequência das investigações em curso relativas à concessão de vistos gold. O processolabirinto”, como é conhecido, envolve pessoas que lhe são próximas.

“Tomei a decisão de apresentar ao primeiro-ministro a demissão de ministro da Administração Interna, pedido aceite pelo primeiro-ministro”, disse Miguel Macedo, referindo que não assume “culpas, nem responsabilidades” no “caso dos vistos gold”. “Pessoalmente não sou responsável por nada do que está em causa nas investigações”, garantiu. 

Miguel Macedo considera, no entanto, que deixou de ter condições políticas para se manter no Executivo: “O ministro da Administração Interna tem que ter sempre uma forte autoridade para o exercício pleno e é essa autoridade que entendo está diminuída. Saio para defender o Governo, a autoridade do Estado e a credibilidade das instituições”.

A demissão de Miguel Macedo surge depois de a Polícia Judiciária (PJ) ter detido 11 pessoas suspeitas de corrupção, branqueamento de capitais, tráfico de influência e peculato, relacionados com a atribuição de vistos gold. Algumas dessas pessoas têm ligações próximas a Miguel Macedo. Entre elas está Maria Antónia Anes, secretária-geral do Ministério da Justiça, com quem Miguel Macedo é sócio numa empresa de consultoria, escreve a TSF.

Em declarações à Lusa, fonte oficial do gabinete do primeiro-ministro revelou que Manuel Macedo será substituídoem breve” no cargo da Administração Interna.