Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Preços das casas sobem pela primeira vez em quatro anos; e vendem-se mais imóveis

Gtres
Gtres
Autor: Redação

Depois de três anos consecutivos com os preços em queda, as casas em Portugal foram vendidas por um valor mais alto em 2014, com uma variação anual de 4,3%. Por outro lado, também se venderam mais imóveis para habitação no ano passado, num total de quase 85 mil casas transacionadas, mais 5,6% do que em 2013. 

Dados revelados ontem pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) mostram uma variação média anual de 4,3% no ano passado, interrompendo a série de três anos consecutivos de queda nos preços dos alojamentos (-1,9%, -7,1% e -4,9% para 2013, 2012 e 2011, respetivamente).

Nos últimos três meses do ano, os preços das casas subiram 2,2% face ao mesmo trimestre do ano anterior, sendo que no segundo e no terceiro trimestres de 2014 as variações foram de 5,9% e 4,9%, respetivamente, segundo escreve o Jornal de Negócios, citando os dados do INE.

Nesse mesmo período (quarto trimestre de 2014), os preços dos imóveis já existentes foram os que mais subiram: cresceram 2,8% face ao mesmo período de 2013, enquanto os preços das casas novas cresceram apenas 1,2%.

Há quatro anos que não se vendiam tantas casas em Portugal

No último trimestre de 2014, foram vendidas em Portugal 25.534 habitações, o número mais elevado desde os últimos três meses de 2010, trimestre em que foram transacionados 31.809 casas.

Das 25.534 habitações vendidas, 20.093 respeitaram a imóveis já existentes. A proporção deste tipo alojamento no total de transações (78,7%) voltou a aumentar (1,4 pontos percentuais face ao trimestre anterior e 8 pontos percentuais por comparação com o quarto trimestre de 2013), tendo atingido o valor mais elevado desde o início da série.

Em todo o ano de 2014 transacionaram-se 84.215 alojamentos familiares, ou seja, mais 4.440 alojamentos do que em 2013. Este foi o segundo ano consecutivo em que se registou um acréscimo no número de transações. O aumento foi de 5,6%, o que compara com a variação de 4,4% em 2013.