Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Programa “Reabilitar para Arrendar – Habitação Acessível” arranca hoje com 25 milhões de euros

Gtres
Gtres
Autor: Redação

É hoje lançado o programa “Reabilitar para Arrendar – Habitação Acessível”, conforme já tinha anunciado o ministro do Ambiente, Ordenamento do Território e Energia (MAOTE), Jorge Moreira da Silva. De um total de 50 milhões de euros, metade estará disponível desde já, sendo que o programa está também disponível para privados.

Em comunicado, o MAOTE revelou que a cerimónia de lançamento do programa realiza-se às 15 horas no próprio Ministério e contará com a presença, além de Jorge Moreira da Silva, do vice presidente do Banco Europeu de Investimento (BEI), Ramón Escolano, da secretária de Estado do Tesouro, Isabel Castelo Branco, e do secretário de Estado do Ordenamento do Território e Conservação da Natureza, Miguel de Castro Neto.

“Durante a sessão, será assinado o contrato de financiamento relativo à primeira tranche de 25 milhões de euros, de um total de 50 milhões de euros, que o BEI concedeu ao Instituto da Habitação e Reabilitação Urbana (IHRU), para o programa ‘Reabilitar para Arrendar – Habitação Acessível’ destinado aos agentes do setor da habitação, públicos e privados, que pretendam reabilitar edificado habitacional para o arrendamento condicionado”, lê-se no documento.

Em causa estão imóveis com mais de 30 anos que serão reabilitados e posteriormente colocados no mercado em regime de arrendamento condicionado.

Segundo o Jornal de Negócios, esta linha de financiamento terá taxas de juro mais baixas do que as praticadas pela banca e que devem rondar os 3% a 3,5%. Os empréstimos podem atingir os 80% do valor total das obras de reabilitação que o proprietário se disponha a fazer – tendo estes de entrar com a restante fatia de 20% - e devem ser reembolsados num prazo que pode ir até aos 15 anos.

Durante esse período, os fogos reabilitados devem ser colocados no mercado em regime de arrendamento condicionado, ou seja, com uma renda que será calculada em função do Valor Patrimonial Tributário do imóvel, escreve a publicação.