Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Construção: 2015 é “o pior ano de sempre” nas obras públicas

Gtres
Gtres
Autor: Redação

Em novembro bateram-se recordes negativos no que diz respeito ao lançamento de concursos de obras públicas, já que apenas foram promovidos 56,4 milhões de euros, menos 28% que em setembro – é o valor mais baixo desde janeiro de 2010. Segundo a Associação dos Industriais da Construção Civil e Obras Públicas (AICCOPN), é possível concluir que 2015 é  “o pior ano de sempre em termos de investimento público em Portugal”.

Um dado que contraria “os sinais positivos dados pelo investimento em construção de natureza privada, designadamente em domínios como o segmento residencial, a reabilitação urbana e o investimento estrangeiro em imobiliário, o qual sempre será sustentado em níveis mínimos de investimento público que, neste momento, não estão a ser cumpridos”.

Em causa estão dados que constam no Barómetro das Obras Públicas da AICCOPN. De acordo com o documento, nos últimos seis anos, apenas se registaram valores mensais abaixo de 80 milhões de euros – relativamente à promoção de concursos de obras públicas – em sete ocasiões, quatro das quais ocorreram já este ano.

“Desde o início do ano foram promovidos 1.125 milhões de euros, valor que representa uma quebra de 24% face ao apurado no período homólogo de 2014. Tudo indica que, mantendo-se esta situação, 2015 terminará com um volume de obras concursadas que será o mais baixo desde, pelo menos, o ano 2000, altura em que se lançaram 3,9 mil milhões de euros em concursos públicos, ou seja, mais do triplo do volume atual”, lê-se no site da AICCOPN.

No que diz respeito aos contratos celebrados, o cenário ainda é pior, já que até final de novembro verificou-se uma redução de 38% face aos primeiros 11 meses de 2014, para os 962 milhões de euros. E mais: “O valor que diz respeito a ajustes diretos apresenta uma quebra de 2% e os contratos resultantes de concursos públicos registam uma impressionante quebra de 51%”.