Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Aliados são a zona do Porto onde estão os apartamentos reabilitados mais caros da cidade

Gtres
Gtres
Autor: Redação

Os Aliados são a zona do Porto onde se localizam os apartamentos reabilitados mais caros da cidade. O preço médio por m2 custa 2.981 euros, entre 11% e 55% acima dos valores médios de oferta apresentados noutras zonas da cidade. No que diz respeito à oferta, o Centro Histórico concentra 48% dos apartamentos integrados em projetos de reabilitação urbana construídos ou em desenvolvimento, mais que duplicando o volume contabilizado nos Aliados (21% da oferta).

Estas são duas das principais conclusões do estudo “Reabilitação Urbana para Uso Residencial no Porto”, realizado pela Prime Yield em parceria com a Predibisa e as sociedades de advogados SRS e ALC. O mesmo incide sobre uma amostra de 312 apartamentos integrados em projetos de reabilitação urbana distribuídos por quatro zonas da Invicta: Aliados, Centro Histórico, Cedofeita e Bonfim. A oferta analisada é dirigida sobretudo ao segmento médio-alto e alto e está na sua maioria construída ou já em construção.

A reabilitação é (…) o principal motor para o mercado imobiliário no Porto, com a habitação a concentrar boa parte das intenções de investimento. O Centro Histórico é um dínamo incontornável deste movimento e, nos últimos quatro anos, foi alvo de uma especial dinamização da reabilitação para habitação, apresentando hoje uma vasta área intervencionada e sendo um destino preferencial para o investimento nesta área, até pelo seu apelo turístico. Paralelamente é evidente uma tendência para alargar o espetro das zonas de investimento para este tipo de projetos na cidade, onde os Aliados se destacam, especialmente no segmento prime”, disse em comunicado José Velez, diretor executivo da Prime Yield.

Já João Nuno Magalhães, diretor-geral da Predibisa, referiu que a reabilitação urbana no Porto tem cada vez mais procura e que “têm ocorrido novos investimentos imobiliários de reabilitação, orientados para a fixação permanente de famílias na Baixa do Porto”. “Este novo paradigma habitacional é importante e só é possível com uma oferta de excelência, em zonas que se pautam por uma grande centralidade e riqueza histórica”, acrescentou.

De acordo com o estudo, o valor médio de oferta observado na zona dos Aliados apresenta um prémio de 11% face ao Centro Histórico, a segunda zona mais cara e onde o asking price para habitação reabilitada é, em média, de 2.689 euros por m2. Este gap aumenta para 31% na comparação com a Cedofeita, zona que concentra 9% da oferta habitacional reabilitada no Porto e onde o valor médio de oferta é de 2.272 euros por m2. Já face à zona do Bonfim, que é mais barata da cidade para a aquisição deste tipo de produtos, o diferencial face à zona mais cara atinge os 55%.

Relativamente à caracterização da oferta, o estudo revela que as tipologias T0, T1 e T2 são as predominantes nos projetos de reabilitação habitacional na cidade, embora denote que quer na zona mais cara quer na zona mais dinâmica – Aliados e Centro Histórico, respetivamente – começam já a haver projetos a apostar nas tipologias de maior dimensão.