Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Número "muito elevado" de sem-abrigos em Lisboa é um problema "grave"

Sem-abrigo a dormir na Praça dos Restauradores, Lisboa. (fotografia do Público)
Sem-abrigo a dormir na Praça dos Restauradores, Lisboa. (fotografia do Público)
Autor: Redação

A falta de habitação é uma das grandes preocupações do momento do Presidente da República. Marcelo Rebelo de Sousa diz que o número de sem-abrigo "continua muito elevado", sendo um problema "particularmente grave em Lisboa". O chefe de Estado espera que se assista a uma diminuição de gente a viver na rua com a saída da crise.

"A primeira coisa fundamental é fazer diminuir a pobreza e ultrapassar o período de crise", declarou o Presidente da República aos jornalistas, antes de assistir a uma missa inserida na 28.ª Festa de Natal da Comunidade Vida e Paz, na cantina da Cidade Universitária, em Lisboa.
 
Segundo Marcelo Rebelo de Sousa, citado pela Lusa, os sem-abrigo "aumentaram no tempo de crise, porque aí a pobreza aumenta" e seu entender, "têm-se dado passos", mas "o número de sem-abrigo continua muito elevado".
 
"À medida que nós vamos saindo da crise, eu espero que também o número de sem-abrigo diminua, porque há mais gente com emprego e com outras hipóteses de vida", acrescentou.
 
Marcelo Rebelo de Sousa marcou hoje presença pela segunda vez nesta festa da Comunidade Vida e Paz, instituição particular de solidariedade social (IPSS) de cariz católico, tutelada pelo Patriarcado de Lisboa, que apoia sem-abrigo e outras pessoas em situação vulnerável.
 
"Isto é uma obra que tem um mérito monumental, porque, ano após ano, mobiliza milhares de pessoas, sobretudo jovens, para um problema que é um problema de todos, mas que é um problema aqui particularmente grave em Lisboa", considerou.