Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Quase três mil famílias continuam desalojadas e à espera de casa em Lisboa e no Porto

Notícias ao Minuto
Notícias ao Minuto
Autor: Redação

Cerca de 2.800 famílias de oito municípios das Áreas Metropolitanas (AM) de Lisboa e do Porto continuam, passados 24 anos da implementação do Programa Especial de Realojamento (PER), à espera que lhes seja atribuída uma habitação condigna. O PER foi lançado em 1993 e envolveu 28 municípios: 19 da AM de Lisboa e nove da AM do Porto.

Com base no último ponto de situação do PER, datado de maio de 2013, altura em que o programa fez 20 anos, havia nove municípios que ainda não tinham concluído na altura a sua execução – cinco na AM de Lisboa (Almada, Amadora, Loures, Odivelas e Seixal) e quatro na AM do Porto (Espinho, Maia, Matosinhos e Póvoa de Varzim). Destes, apenas o município da Póvoa de Varzim já concluiu o plano, escreve a Lusa.

De acordo com a agência de notícias, o PER, que foi lançado em 1993, envolveu 28 municípios – 19 da AM de Lisboa e nove da AM do Porto –, onde foram identificadas 48.416 famílias a viver em construções precárias ou barracas, das quais mais de 33 mil viviam na AM de Lisboa e 15 mil na AM do Porto. Atualmente, dessas 48.416 famílias recenseadas, já foram realojadas 45.572 famílias, o que representa uma taxa de execução do programa de 94%.

Os municípios que ainda não concluíram o PER na AM de Lisboa são Almada (1.014 agregados familiares por realojar), Amadora (699), Loures (181), Odivelas (79) e Seixal (144, segundo dados de 2013). Já na AM do Porto são Maia (311), Matosinhos (396, segundo dados de 2013) e Espinho (20). Na prática, somados estes números, há 2.844 famílias por realojar.

Os municípios à lupa

No concelho de Almada foram recenseadas 2.156 famílias no âmbito do PER. Dessas, já foram realojadas 1.142, faltando realojar 1.014 agregados familiares, indicou a autarquia, acrescentando que o município realojou ainda “361 agregados não recenseados no PER”.

Já o concelho da Amadora recenseou no âmbito do PER 6.745 agregados familiares, distribuídos por 35 bairros degradados. Até ao final de 2016 foram realojados 6.046 agregados, faltando realojar 699 famílias de nove bairros degradados.

No concelho de Loures foram realojadas no âmbito do PER 2.682 agregados familiares, faltando realojar 181. Fora do PER, foram realojados, até ao momento, um total de 503 agregados familiares e aguardam realojamento 191 famílias.

No município de Odivelas, a autarquia procedeu ao realojamento de 190 agregados familiares ao abrigo do PER, faltando realojar 79 famílias recenseadas. Fora do PER, existem 66 famílias à espera de realojamento.

No concelho do Seixal faltam realojar 144 famílias ao abrigo do PER, segundo os dados de 2013.

Na Maia, a autarquia estima que faltem realojar 311 famílias recenseadas no âmbito do PER enquanto no concelho de Matosinhos faltam realojar 396 famílias, segundo os dados de 2013.

Em Espinho, a autarquia recenseou 458 barracas a erradicar no âmbito do PER, sendo que neste momento faltam realojar 20 famílias. Já na Póvoa de Varzim já foram realojadas todas as famílias recenseadas ao abrigo do PER.

Ver mais notícias sobre: 
RealojamentoPERHabitação social