Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

70% dos imóveis que bancos têm para vender já não são casas

Samuel Zeller on Unsplash
Samuel Zeller on Unsplash
Autor: Redação

O número de imóveis que os bancos portugueses têm em carteira tem vindo a encolher ao longo dos últimos dois anos (menos 15%) e a mudar de perfil. Possuem um total de cerca de 17.700 imóveis, mas ao contrário do que antes acontecia, atualmente, sete em cada 10 imóveis não são casas. A grande maioria dos ativos (70%) diz respeito a escritórios, armazéns, garagens, arrecadações, terrenos e lojas, entre outros. E o BCP é agora o banco que lidera o ranking das instituições com mais imóveis para vender. 

Estes valores refletem a recuperação da economia nacional, depois de muitas famílias e empresas terem sido forçadas a entregar os seus imóveis para saldar dívidas junto das instituições, escreve o Jornal de Negócios, com base numa análise ao balanço dos dez principais bancos nacionais.

Há dois anos 40,5% dos ativos eram habitacionais

O aumento da procura por ativos imobiliários residenciais "tem sido muito maior do que os dos não residenciais, reflexo sobretudo do turismo, procura por investidores internacionais e melhoria das condições económicas de algumas famílias", explica  economista do IMF, Filipe Garcia, citado pelo diário.

Para o economista, as casas explicam assim a redução do número de imóveis nas carteiras dos bancos, já que o número de imóveis não residenciais aumentou - são atualmente cerca de 13.153 ativos, mais 6,47% do que em setembro de 2015.

"Não me parece provável que os ativos imobiliários não habitacionais consigam suscitar o mesmo tipo de procura que os residenciais", antecipa Filipe Garcia. "Há margem para que o número de imóveis em balanço continue a diminuir, mas com maior incidência nos ativos imobiliários residenciais", sublinha o economista. 

BCP passou a ter o maior número de imóveis em carteira

A diminuição dos imóveis foi generalizada a quase todas as instituições financeiras. O BPI foi o banco que registou a queda mais acentuada, ao contrário do Popular, Crédito Agrícola e Bankin, que viram o seu número de ativos aumentar. Ainda assim há surpresas neste ranking. O BCP ultrapassou o Novo Banco e é agora a instituição nacional com mais imóveis em carteira.