Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Há cada vez mais proprietários a arrendar a mesma casa a estudantes e a turistas

pragmart/Unsplash
pragmart/Unsplash
Autor: Redação

Há cada vez mais proprietários a dar uma utilização dupla aos seus imóveis: arrendam-no a estudantes durante o ano letivo e a turistas no verão, colocando-os no Alojamento Local (AL). Uma tendência que aumentou recentemente, com a mudança das regras no mercado de arrendamento de curta duração.

Para Eduardo Miranda, presidente da Associação do Alojamento Local em Portugal (ALEP), com a aprovação de um novo pacote legislativo, e também devido ao facto de haver maior oferta no mercado, muitas pessoas que estavam a pensar em investir em imóveis para os colocar no AL estão agora a repensar os projetos e a ajustar estratégias. 

Segundo o Dinheiro Vivo, em julho do ano passado estavam registados em todo o país cerca de 55.000 unidades de AL, sendo que atualmente são quase 73.000, dos quais 18.719 encontram-se em Lisboa e 8.361 no Porto.

Tendo em conta este cenário, Eduardo Miranda considera “natural” o facto de começar a haver pessoas “a verificar alternativas e outras possibilidades de negócio”. E é neste contexto que surge como hipótese de negócio o mercado dos estudantes (nacionais, estrangeiros) e das pessoas que se deslocam por um curto período de tempo por motivos profissionais, escreve a publicação. 

Uma tendência confirmada, de resto, por Miguel Santo Amaro, cofundador da plataforma Uniplaces, especializada em arrendamentos para estudantes. De acordo com o responsável, nestes últimos meses, tem havido mais senhorios interessados em direcionar os seus imóveis para o mercado académico, acabando por optar por uma utilização mista. 

De referir que o mercado do alojamento de estudantes não passou despercebido aos grandes investidores internacionais. Na calha está, por exemplo, o projeto da austríaca Milestone, que pretende abrir uma residência universitária até ao final do ano no Campus da Universidade Nova. 

Citado pela publicação, Menezes leitão, presidente da Associação Lisbonense de Proprietários (ALP), disse não estar surpreendido com o facto da oferta de casas para estudantes estar a aumentar e com a referida tendência de combine este tipo de atividade com o AL.