Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Detetadas 216 unidades de alojamento ilegais nos Açores em 2018

Angela Compagnone/Unsplash
Angela Compagnone/Unsplash
Autor: Redação

A Inspeção Regional do Turismo (IRT) realizou em 2018 cerca de 700 ações nos Açores, tendo detetado 216 unidades de alojamento não licenciadas ou registadas, num total de 864 camas, das quais 187 já estão licenciadas/registadas ou encerraram a atividade. 

“[Foram efetuadas] 336 ações inspetivas em empreendimentos turísticos (72), estabelecimentos de hospedagem (119) e atividades de animação turística (145), além de 157 ações de deteção de atividades de animação turística não registada (terrestre ou marítima)”, refere a IRT, em comunicado.

Segundo a Lusa, que cita o documento, “foram ainda analisadas e tratadas 317 reclamações referentes a todas as atividades turísticas no arquipélago, sendo as ilhas de maior dimensão (São Miguel e Terceira) aquelas onde se registou um maior número de reclamações”. “Aproximadamente 61% das reclamações apresentadas incidiram sobre o alojamento e cerca de metade destas tiveram na sua origem falhas nos serviços prestados”, conclui a IRT, salientando que no ano passado realizou “ações de deteção de oferta irregular de alojamento disponibilizado online, por operadores registados/licenciados, tendo-se detetado 29 irregularidades”.

De referir que a IRT, que é responsável pela promoção e fiscalização do cumprimento das disposições legais relativas às atividades e profissões turísticas, tem atualmente nove inspetores (quatro em S. Miguel, três na Terceira e dois no Faial), um número que “tem vindo a aumentar devido ao crescente desenvolvimento turístico no arquipélago”.