Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

“O Desafio” está de volta: presente e futuro do imobiliário debatido dia 23 de maio em Lisboa

'O Desafio'
'O Desafio'

A conferência “O Desafio” foi um sucesso no ano passado. Para a edição deste ano, que se realiza a 23 de maio em Lisboa, na LISPOLIS – Associação para o Polo Tecnológico de Lisboa, a fasquia está elevada, mas Massimo Forte e Gonçalo Nascimento Rodrigues, os organizadores, estão otimistas. Também para eles será um desafio, dizem ao idealista/news, adiantando que desta vez não serão oradores e sim moderadores. O evento conta com o apoio exclusivo do idealista.

“Acreditamos que vamos ter mais participantes na edição deste ano [foram cerca de 300 em 2018], pelo feedback que tivemos no ano passado, pelo entusiasmo que há e também pela nossa carreira, que já tem muitos anos”, começa por dizer Massimo Forte. “O nosso objetivo é sempre trazer aos profissionais do imobiliário conhecimento para eles poderem evoluir nas suas profissões, esse é o nosso desafio”, acrescenta o consultor independente especializado em mediação imobiliária.

Massimo Forte e Gonçalo Nascimento Rodrigues / Ana Luzia Delgado
Massimo Forte e Gonçalo Nascimento Rodrigues / Ana Luzia Delgado

Gonçalo Nascimento Rodrigues vai um pouco mais longe. “A nossa expetativa é que sejam 500 pessoas”, diz o consultor financeiro independente em investimentos imobiliários. “Nós teimamos, acho que a expressão é mesmo essa, em partilhar conteúdo e conhecimento. Esse é quase o nosso ideal de vida”. 

"O nosso objetivo é sempre trazer aos profissionais do imobiliário conhecimento para eles poderem evoluir nas suas profissões, esse é o nosso desafio"
Massimo Forte

Mas o que esperar, afinal, da conferência? “Este desafio repete-se e não se repete. Repete-se porque somos nós outra vez os empreendedores do evento, mas não se repete porque o conteúdo é completamente diferente, de novo para tentarmos ser disruptivos no mercado”, explica Gonçalo Nascimento Rodrigues. 

“O nosso desafio vai ser fazer uma coisa que deu resultado no ano passado e inovar, fazer uma coisa que tem o mesmo nome, mas que é completamente diferente”, acrescenta Massimo Forte. 

Um desafio a pensar nas pessoas 

“O Desafio” deste ano tem, desde logo, um formato diferente, já que os dois especialistas do setor imobiliário saem das suas zonas de conforto. “No ano passado demos a cara e fomos os oradores, este ano convidámos outras pessoas a dar a cara e seremos moderadores”, conta Massimo Forte.  

Gonçalo Nascimento Rodrigues e Massimo Forte / Ana Luzia Delgado
Gonçalo Nascimento Rodrigues e Massimo Forte / Ana Luzia Delgado

“Desenvolvemos o evento em três painéis distintos de discussão, mas que estão interligados. E no final do dia fazem globalmente sentido para o mercado. Vamos falar sobre a situação atual do mercado, sobre tecnologia e o seu impacto no setor e nas pessoas e terminamos precisamente nas pessoas”, explica Gonçalo Nascimento Rodrigues, revelando que os oradores presentes nos painéis “são especialistas naquilo que fazem”, o que não significa forçosamente que percebam ou estejam no setor imobiliário. 

"Hoje há muitos ‘players’ no mercado. Há 15 anos identificávamos os promotores que existiam, hoje não"
Gonçalo Nascimento Rodrigues

Os organizadores da conferência destacam a importância das pessoas no “universo” da mediação, tendo também por isso dedicado um painel ao papel da intervenção humana nos processos imobiliários. “Espero que no final as pessoas pensem naquilo que foi dito e que tenham a capacidade de dizer: ‘Eu tenho de mudar isto, de fazer qualquer coisa diferente’. E que no dia seguinte revejam as suas estratégias e pensem: ‘Se calhar há coisas que tenho de afinar’. Se mudarem uma coisa já fico satisfeito. A ideia é ouvir, refletir e quem sabe mudar alguma coisa”, refere Massimo Forte. 

Adesão forte também de 'newcomers'

Gonçalo Nascimento Rodrigues realça a importância dos dois oradores estarem a ter “a experiência de sair do casulo”. “Para nós seria mais fácil repetir o modelo do ano passado, mas o objetivo era fazer outras experiências, foi isso que tentámos trazer para este Desafio”, sustenta. “Também é um desafio para nós, desta vez não depende totalmente de nós. Os convidados têm um papel forte”, argumenta Massimo Forte.

Sobre o público alvo do evento, os organizadores adiantam que há muita adesão, tendo em conta as inscrições, de pessoas ligadas à mediação imobiliária, que querem ter mais informação e beber mais conhecimento. Mas há também grande interesse por parte de ‘newcomers”. “Hoje há muitos ‘players’ no mercado. Há 15 anos identificávamos os promotores que existiam, hoje não”, conclui Gonçalo Nascimento Rodrigues.