Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Startup Lisboa lança concurso para projetos de coliving no Hub Criativo do Beato

O espaço onde o projeto de habitação partilhada deverá nascer / Hub Criativo do Beato
O espaço onde o projeto de habitação partilhada deverá nascer / Hub Criativo do Beato
Autor: Redação

A Startup Lisboa abriu um concurso para a apresentação de projetos destinados à sua área de alojamento residencial partilhado (coliving) no Hub Criativo do Beato, na capital. As residências partilhadas serão de utilização temporária de curta ou média duração e vedadas a fins turísticos e alojamento local. Os interessados deverão avisar a incubadora até 30 de junho de 2019 e enviar as suas propostas até 8 de setembro deste ano.

O espaço a concurso para o projeto de coliving é um edifício histórico da antiga Fábrica da Manutenção Militar, com cerca de 4.200 metros quadrados (m2), designado por “Edifício do Relógio/Antigo Convento”. Será neste local que a incubadora pretende instalar o projeto de habitação partilhada.

“A proposta poderá incluir unidades de alojamento com tipologias diferentes e áreas com as características e equipamentos necessários à utilização comum dos residentes, bem como a prestação de serviços acessórios ou conexos para apoio de uma comunidade de inovação e criatividade”, refere a incubadora em comunicado.

A cedência de espaço prevê que o investimento de requalificação, implementação e gestão dos espaços seja da total responsabilidade do promotor, sendo que o investimento elegível será amortizado na renda mensal. “A cedência de utilização tem a duração de 20 anos, renovando-se automaticamente pelo prazo de 5 anos até ao limite máximo de 30 anos”, adianta ainda a incubadora. O objetivo é que o projeto do operador/promotor escolhido esteja em funcionamento até ao final de 2020.

Como funciona o concurso?

  1. Quem pretender apresentar uma proposta, deverá formalizar uma manifestação de interesse até 30 de junho e, posteriormente, enviar a proposta até 8 de setembro de 2019;
  2. Após o período de entrega de propostas é feita uma primeira avaliação das candidaturas, com base na adequabilidade e cumprimento dos critérios de seleção previamente estabelecidos;
  3. As melhores propostas serão chamadas a fazer uma apresentação presencial ao júri. O júri será constituído por:
  • Miguel Fontes, Diretor Executivo da Startup Lisboa
  • Isabel Guerreiro, Câmara Municipal de Lisboa
  • Miguel Santo Amaro, empreendedor e fundador da UNIPLACES
  • Fernando Mendes, empreendedor e fundador do Cowork Lisboa
  • Inês Lobo, Arquiteta
  • Nuno Dantas Melo, empreendedor e co-fundador da MUSA
  • Bernardo Trindade, administrador hoteleiro

    4. Após esta sessão de apresentação, será selecionada a proposta vencedora, passando então à fase de negociação.

Os critérios de avaliação das propostas serão a qualidade do projeto, o preço ao cliente, a valorização do património e o perfil dos promotores.