Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Gastos com a casa, água, luz e gás são os que mais pesam no orçamento das famílias portuguesas

A habitação levou a maior fatia do orçamento das famílias no ano passado, seguida da alimentação e bebidas não alcoólicas.

Photo by CDC on Unsplash
Photo by CDC on Unsplash
Autor: Redação

As despesas com a casa, água, luz, gás e outros combustíveis pesam quase 18% no bolso das famílias portuguesas, revelam os dados do Eurostat. De acordo com o gabinete estatístico europeu, em 2019, e antes mesmo da chegada da pandemia, a habitação levou a maior fatia do orçamento, seguida pela alimentação e bebidas não alcoólicas (16,1%). Os gastos domésticos totais da UE ascenderam a 52,6% do PIB, tendo Portugal registado um nível de despesa superior (68,2%), o quarto maior depois da Grécia (76,1% do PIB), Croácia (73,0%) e Chipre (70,7%).

Gasta-se mais com a casa, com a alimentação e, em terceiro lugar, no orçamento doméstico dos portugueses, surgem as despesas com restaurantes e bares (13,9%), seguindo-se os transportes (13,3%) e outros bens e serviços (10,6%), mostra o estudo. A roupa e calçado pesa 5,8%, seguida depois da recreação e cultura (5,6%), saúde (4,3%), mobília e eletrodomésticos (4,9%), bebidas alcoólicas (3,2%), comunicações (2,2%) e educação (1,5%).

O retrato feito pelo Eurostat mostra que as famílias têm padrões de consumo diferentes, dependendo muito dos salários, hábitos culturais ou situação geográfica. Mas a verdade é que a casa representa um grande custo para muitas famílias europeias. Na média da UE, no ano passado, quase um quarto (23,5%) das despesas de consumo das famílias teve como finalidade a habitação, água, eletricidade, gás e outros combustíveis, seguindo-se os transportes (13,1%) e alimentação e bebidas não alcoólicas (13%). Segundo o Eurostat, a casa representa “de longe a maior despesa familiar da UE”.

Os demais gastos das famílias distribuíram-se por restaurantes e hotéis, ecreação e cultura (ambos 8,7%), móveis e utensílios domésticos (5,5%), roupa e calçado (4,6%), saúde (4,4%), bebidas alcoólicas e tabaco (4%), comunicações (2,4%), educação (0,9%) e outros (11,2%) - que juntos representaram cerca de um terço (33%) da despesa total em 2019.

Tendências por país

Olhando para os países, caso a caso, a análise do Eurostat identifica várias tendências. Tendo em conta a proporção do PIB em 2019, os níveis mais elevados de despesas familiares foram registados na Grécia (76,1% do PIB), Croácia (73%) e Chipre (70,7%), enquanto os níveis mais baixos foram encontrados na Irlanda (28,2%), Luxemburgo (32,9%), Holanda (43,2%) e Suécia (43,6%).

Na UE como um todo, bem como em quase todos os países da UE (exceto Estónia, Croácia, Chipre, Lituânia, Malta e Roménia) a habitação, água, eletricidade, gás e outros combustíveis tem o peso mais significativo nas despesas domésticas, seguido por transportes e alimentação e bebidas não alcoólicas.

Eurostat
Eurostat

Ainda no que diz respeito aos gastos com a casa, os níveis mais elevados de despesa das famílias foram registados na Finlândia (28,8%), Eslováquia (28,4%) e Dinamarca (27,9%), enquanto se observaram os níveis mais baixos em Malta (12,3%), Lituânia (14,9%) e Chipre (15,6%)