Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Este projeto de casas pré-fabricadas quer revolucionar o conceito de urbanismo sustentável

O complexo residencial Barbizon é da autoria do estúdio AEMSEN.

AEMSEN
AEMSEN
Autor: Vicent Selva (colaborador do idealista news)

Casas pré-fabricadas e modulares na construção civil não são novidade. Na verdade, já há algum tempo que a sua popularidade está a crescer, com designs impressionantes e sem abrir mão do conforto. Nesta linha de evolução, a oferta deste tipo de produtos é cada vez mais ampla e, sobretudo, variada. Mas além das repercussões em relação à forma como entendemos a habitação, a sua influência está a afetar questões que, embora relacionadas, vão mais além, nomeadamente no que diz respeito ao planeamento urbano.

Um magnífico exemplo da interação de moradias pré-fabricadas e novas formas de entender o urbanismo e a vida comunitária pode ser encontrado no complexo residencial Barbizon, na cidade holandesa de Capelle aan den IJssel. Embora o projeto ainda não tenha sido concluído, o estúdio AEMSEN espera revolucionar o conceito de habitação, sustentabilidade e acessibilidade. Este projeto é articulado a partir da utilização de módulos pré-fabricados de madeira. Pelas suas características, e por se tratar de um modelo baseado na flexibilidade e adaptabilidade, o conceito construtivo desenvolvido é facilmente aplicável e pode ser utilizado para muitos outros locais.

Assim, o Barbizon foi concebido como um complexo residencial ecológico e modular, construído com módulos de madeira pré-fabricados. O complexo será composto por um total de 112 apartamentos em 16 diferentes tipos de habitações, cuja superfície varia de 45 a 120 m2. Os podem ser mudados ​​sem construção auxiliar adicional. Este método de construção a seco com materiais de base biológica é um dos pontos fortes com que se pretende aumentar a sua atratividade como complexo residencial ecológico.

Estes módulos pré-fabricados são facilmente adaptáveis ​​e reutilizáveis. A madeira laminada cruzada é à prova de fogo e o clima interno das casas é confortável e saudável.

O sistema de construção modular oferece uma construção neutra de CO2 de forma mais eficiente e rápida do que os padrões atuais. É necessário muito menos material de construção e é também menos poluente. Uma vez que todos os tipos de tipologias de habitação podem ser realizados com este sistema de construção, é adequado para muitos grupos-alvo. Torna os edifícios circulares e sustentáveis ​​acessíveis a todos.

“A construção circular, modular e com energia neutra em madeira realmente tem futuro. É mais leve do que a construção tradicional, tem boas propriedades de isolamento e gera muito menos emissões de nitrogénio. Isso torna a sustentabilidade e a circularidade acessíveis a tudo”, diz Asper Jägers, membro da equipa da AEMSEN.

Desta forma, o equilíbrio entre a cidade e a natureza pode ser restaurado. A simbiose com a natureza é reforçada pela integração da vegetação e da biodiversidade no sistema modular de fachadas e coberturas. Mas, além da vegetação e da biodiversidade, a interação social entre os moradores também desempenha um papel central neste conceito. Os espaços verdes exteriores comuns na forma de um vale verde são acessíveis a todos os residentes do complexo através dos corredores de uma forma que oferece um contexto perfeito para facilitar a interação social entre os futuros residentes.