Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Esta casa pré-fabricada de estilo nórdico na Letónia esconde um jardim incrível

A construção ocupa o lugar de uma estrutura antiga que estava em muito mau estado. Um projeto da autoria do estúdio Open AD.

Photo: Alvis Rozenbergs via Open AD
Photo: Alvis Rozenbergs via Open AD
Autor: Vicent Selva (colaborador do idealista news)

Na foz do rio Saka, no Mar Báltico, existe uma pequena vila de pescadores chamada Pāvilosta, na Letónia. Este pequeno enclave nasceu há muito tempo, no século XIII, como um porto marítimo. Hoje, esta pequena cidade de pouco mais de 1.000 habitantes é conhecida por outras coisas. Os habitantes da região associam Pāvilosta à extensa praia de areia e às águas frias do Mar Báltico. Um local onde se pode desfrutar da natureza intocada, da paz e tranquilidade, mas também de desportos náuticos, como o surf e o mergulho.

Apesar do tempo que passou, Pāvilosta ainda é o lar de tenazes famílias de pescadores que vivem em casas nas quais a cor dominante é o cinza claro, combinando com os tons que caracterizam o céu durante grande parte do ano.

E foi aqui que o estúdio Open AD construiu uma bela casa pré-fabricada que se encaixa perfeitamente com essa estética dominante. A construção ocupa o lugar de uma estrutura antiga que estava em muito mau estado. No entanto, foi o seu estilo que inspirou o design desta nova casa. “Quando os proprietários compraram o imóvel, concluímos que a estrutura original não podia ser salva. Em vez disso, serviu de inspiração para a nova casa ”, escrevem no seu site.

Orientada pelos princípios das tradições de construção locais, a casa mantém a típica forma triangular, lambris, janelas frontais estreitas e telhado de madeira. Além disso, para permitir a sua ocupação ao longo do ano, foram instalados pavimentos radiantes e uma série de soluções de isolamento natural.

A casa pré-fabricada foi construída fora do local, minimizando o impacto e reduzindo significativamente o tempo de construção. Para o revestimento exterior, os arquitetos utilizaram a madeira de lariço siberiano, que com o tempo adquire um agradável tom cinza. Também usaram telhas de madeira e optaram por um design tradicional que tem pequenas janelas na fachada frontal para manter a privacidade da rua.

Considerando o clima, a casa é inundada de luz natural através de grandes janelas altas voltadas para oeste e clarabóias sobre a cozinha e área de estar. Há também uma área de transição interna-externa marcada por uma pérgula e uma extensão do terraço. Esses dois elementos cumprem a função de conectar a planta em forma de L e criar um elo entre a casa e o jardim. Um galpão de armazenamento com um recanto embutido para lenha também está localizado na parte detrás do jardim.