Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Obras na Ajuda deixaram casas com a porta a 1,5 metros do chão

As cinco casas do bairro de Lisboa estão desocupadas, mas o caso fez estalar a polémica nas redes sociais.

Imagem TVI - https://tvi24.iol.pt/
Imagem TVI - https://tvi24.iol.pt/
Autor: Redação

Um cenário, no mínimo, insólito. É isso que quem passar na Calçada da Ajuda, em Lisboa, vai encontrar. E tudo porque as obras realizadas naquela zona deixaram cinco casas com a porta de entrada a mais de um metro de altura do chão da rua (e sem degraus). Ao que tudo indica, estas casas são da GNR e estão desocupadas, mas o caso até já motivou uma "troca de galhardetes" entre os autarcas de Lisboa e Porto.

De acordo com o presidente da Junta de Freguesia da Ajuda, Jorge Marques, a obra estará ainda por completar e a situação vai ser corrigida. O responsável garante que as obras ainda não terminaram, mas que era importante abrir a calçada ao trânsito, que esteve fechada um ano e meio, algo que estava a causar grandes constrangimentos na cidade. Segundo o autarca, estas são casas são usadas por militares da GNR, mas estão desabitadas.

“Aquela é uma fase, continuará a avançar a intervenção nas casas, criando um acesso ao nível do pavimento, não implicará ter que refazer as casas todas, implicará fazer um acesso só”, disse em declarações à Rádio Renascença.

A Direção Geral do Património Cultural (DGPC) também já reagiu. Confirma que "a intervenção não está concluída" e diz que vai emendar o erro. "Falta corrigir as soleiras das portas e fazer pequenas intervenções no interior das casas para repor cotas de acesso. Estes trabalhos não têm repercussão física e formal na Calçada da Ajuda, a não ser na dimensão dos vãos, e vão ser executados em breve, sem colocar em causa o trânsito na Calçada da Ajuda", explica, citada pelo Jornal de Notícias.

Insólito motiva picardia entre Rio e Medina

A verdade é que vários vídeos e fotos sobre esta situação insólita começaram a circular nas redes sociais, e até Rui Rio ironizou sobre o caso. “A Câmara de Lisboa bem pode ser motivo de orgulho para qualquer português… que simpatize com os padrões de rigor do terceiro mundo“, escreveu o autarca do Porto, esta segunda-feira, dia 2 de agosto de 2021, na sua conta de Twitter, partilhando o vídeo no local feito pela TVI.

Fernando Medina, presidente da Câmara de Lisboa, não demorou a responder ao líder do PSD. “Obrigado, Dr. Rui Rio, por mais uma vez chamar a atenção para os problemas que preocupam os portugueses. Informo que as casas são da GNR, estão desocupadas e a entrada é pelo outro lado, pelo pátio do quartel. Pode agora retomar as suas férias e prosseguir com a silly season“, disse, na mesma rede social.