Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

OE2022: investimento de 123 milhões para aumentar eficiência energética em edifícios

Objetivo é aumentar o desempenho energético dos edifícios, bem como fomentar o uso de equipamentos mais eficientes.

Photo by Karsten Würth (➡️ @karsten.wuerth) on Unsplash
Photo by Karsten Würth (➡️ @karsten.wuerth) on Unsplash
Autor: Lusa

O Governo quer investir 123 milhões de euros no aumento da eficiência energética em edifícios, em 2022, que incluem investimentos previstos no Plano de Recuperação e Resiliência (PRR), segundo a proposta de Orçamento do Estado para 2022 (OE2022).

Entre os investimentos para a transição climática que constam da proposta entregue no parlamento, o Governo aponta o “aumento da eficiência energética em edifícios, com um investimento de 123 milhões de euros que visa aumentar o desempenho energético dos edifícios (através da adoção de medidas passivas e da progressiva eletrificação do edificado), bem como fomentar o uso de equipamentos mais eficientes”.

O documento explicita que parte deste valor inclui o contributo de outros investimentos previstos no PRR, “no âmbito da saúde, habitação, respostas sociais, e qualificações e competências, através das quais se prevê o apoio à renovação de edifícios e infraestruturas”.

O Governo entregou esta segunda-feira à noite, na Assembleia da República, a proposta de Orçamento do Estado para 2022 (OE22), que prevê que a economia portuguesa cresça 4,8% em 2021 e 5,5% em 2022.

No documento, o executivo estima que o défice das contas públicas nacionais deverá ficar nos 4,3% do Produto Interno Bruto (PIB) em 2021 e descer para os 3,2% em 2022, prevendo também que a taxa de desemprego portuguesa descerá para os 6,5% no próximo ano, “atingindo o valor mais baixo desde 2003". A dívida pública deverá atingir os 122,8% do PIB em 2022, face à estimativa de 126,9% para este ano.

O primeiro processo de debate parlamentar do OE2022 decorre entre 22 e 27 de outubro, dia em que será feita a votação, na generalidade. A votação final global está agendada para 25 de novembro, na Assembleia da República.