Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Espanha suspende hoje a construção e todos os setores "não essenciais" para combater o Covid-19

Até 9 de abril, pelo menos, só se mantêm as atividades essenciais e o teletrabalho. Trabalhadores continuam a receber e recuperam horas depois.

Pedro Sánchez, primeiro-ministro espanhol / Gtres
Pedro Sánchez, primeiro-ministro espanhol / Gtres
Autor: Redação

Espanha decidiu agravar as medidas de confinamento para tentar travar a curva exponencial de contágios de Covid-19, mandando parar quase por completo o sistema produtivo do país vizinho. Para tentar evitar o colapso do sistema sanitário, o governo liderado por Pedro Sánchez decidiu que só podem manter-se a funcionar os setores essenciais e o teletrabalho. Para que as empresas se possam preparar para hibernar, foi dado o dia de hoje 30 de março de 2020, como margem.

Dessa forma, os funcionários dos setores considerados não essenciais, como a construção, poderão ir hoje aos locais de trabalho para realizar "as tarefas essenciais" para deixar as suas atividades fechadas, conforme decretado pelas autoridades, no país vizinho neste domingo. Também os funcionários destas atividades podem realizar hoje os procedimentos necessários.

No ativo vão permanecer atividades essenciais, como as que estão relacionadas com o setor sanitário e a cadeia alimentar. Além disso, todas as empresas que possam funcionar através de teletrabalho também vão continuar a operar sem problema.

Em troca, os empregados que deixem de trabalhar até ao dia 09 de abril, terão direito a uma "autorização retribuição recuperável". Ou seja, as empresas manterão as retribuições integrais (salário base e complementos) pelas horas que os empregados irão recuperar paulatinamente, desde que se levante o estado de alarme até ao próximo dia 31 de dezembro de 2020. Esta recuperação será feita mediante negociação entre a empresa e representação sindical.