Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Senhorios pessimistas com mercado de rendas em Londres devido à pandemia

Famílias procuram casas e mais espaço fora das cidades, reflexo do teletrabalho, por exemplo.

Gtres
Gtres
Autor: Redação

Os agentes imobiliários especializados em arrendamento de casas em Londres estão mais pessimistas quanto à evolução dos preços das rendas, depois da pandemia ter provocado uma fuga da capital para outras zonas. De acordo com um estudo conduzido pela Royal Institution of Chartered Surveyors (RICS), foi observada uma desaceleração mais ampla no mercado imobiliário do Reino Unido em dezembro. Londres é a única zona do país onde se espera que as rendas caiam nos próximos três meses.

A Covid-19 atingiu Londres em força com a nova variante do vírus, propagando-se rapidamente, levando as autoridades a decretar um terceiro confinamento. Com a ascensão do teletrabalho, os moradores procuram mais espaço fora da cidade, depois de anos em que o mercado imobiliário da capital superou o resto do país.

“Os potenciais compradores continuam a aproveitar o corte de impostos. Um terceiro confinamento pode tornar os apartamentos pequenos sem espaço externo os mais difíceis de avaliar e vender ", disse James Perris, agente da De Villiers em Londres.

Essas mudanças, juntamente com o corte temporário no imposto sobre transações imobiliárias, ajudaram a alimentar o boom de transações em outros lugares, inflacionando os preços das casas mesmo numa altura em que o país enfrenta uma recessão dupla. A procura de novos compradores, a oferta doméstica e as vendas continuaram a crescer em dezembro, embora a um ritmo mais lento.

"Embora o mercado imobiliário permaneça aberto para negócios, há uma sensação de que as novas restrições ainda afetarão as transações nos próximos meses", disse Simon Rubinsohn, economista-chefe da RICS. Mas o responsável continua otimista de que os preços e rendas vão melhorar em todo o país à medida que a crise do coronavírus diminuir.

“Surpreendentemente, o mercado permanece em alta à medida que nos aproximamos do fim do corte de impostos para a compra de casas. Embora atualmente estejamos confinados, a procura tem sido forte. Há sinais de que isso continuará à medida que os clientes procurarem mudar o seu estilo de vida ", disse Peter Buckingham, da Andrew Granger & Co.

“Há procura nos arredores de Londres por casas de família. Isso reflete claramente o aumento da necessidade de trabalhar em casa e a diminuição da necessidade de ficar perto do escritório ", disse Simon Aldous, agente da Savills em Londres.