Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Autarca de Londres pede congelamento das rendas para evitar despejos em massa

Meio milhão de londrinos pode arriscar o despejo por causa dos atrasos acumulados no pagamento das rendas. A culpa é da pandemia.

Gtres
Gtres
Autor: Redação

Meio milhão de londrinos pode vir a enfrentar o despejo devido aos atrasos acumulados no pagamento das rendas por causa da pandemia. O alerta é do presidente da Câmara Municipal de Londres, Sadiq Khan, que já veio pedir ao governo de Boris Johnson, primeiro-ministro britânico, para congelar os aumentos, pelo menos, durante dois anos. 

As medidas adotadas pelo Executivo britânico durante o período de confinamento proibiram os despejos de inquilinos em caso de não pagamento da renda. Ainda assim, e segundo escreve o The Guardian, os tribunais deverão reiniciar o processo de despejo se o inquilino tiver dívidas em aberto com o senhorio nas zonas onde não há restrições, principalmente no norte de Londres.

"Sem uma vacina que funcione, as consequências económicas da Covid-19 continuarão durante meses", disse Khan. "O congelamento das rendas é apenas uma parte de um pacote de medidas que os inquilinos precisam urgentemente para garantir que ninguém seja posto na rua por causa desta pandemia", defendeu ainda. 

Perante esta situação, o autarca pede agora ao Governo que atue no mercado de arrendamento habitacional, tal como já atuou no mercado de compra e venda, nomeadamente com isenções fiscais para aquisição de habitação.

Londres, recorde-se, tem 2,2 milhões de inquilinos. Num estudo recente da Greater London Authority e YouGov, uma quarte parte afirmou estar atrasada ​​nos pagamentos, e assegura que a razão está diretamente relacionada com a pandemia.