Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Shoppings Dolce Vita falidos colocados à venda

Autor: Redação

Os centros comerciais Dolce Vita do Porto, de Vila Real, Monumental em Lisboa e o de Coimbra entraram em falência e os dois primeiros estão já à venda, com um valor base de 40 milhões de euros cada um. Os shoppings de Coimbra e de Lisboa serão colocados no mercado em breve.

De acordo com o gestor de insolvência, Jorge Calvete, citado pela Lusa, o processo do Monumental (que inclui um complexo de escritórios) está "numa fase mais atrasada" do que os restantes e decorrem ainda as "avaliações e reavaliações" do respectivo património, mas "o destino é a venda".

A agência de notícias diz que, segundo se lê no relatório do administrador, os créditos sobre a Monucontrol reconhecidos em sede de insolvência ascendem a perto de 79,134 milhões de euros, sendo o principal credor - tal como nos processos do Dolce Vita Porto e Vila Real - a LSREF3 Octopus Investments, sociedade que pertence à norte-americana Lone Star, com quase 44 milhões de euros reclamados (dos quais 41 milhões são crédito garantido por hipoteca).

Dolce Vita Porto e Vila Real à venda por 40 milhões cada um

O valor base de cerca de 40 milhões de euros determinado pelo administrador de insolvência para o centro comercial do Porto e Vila Real é bastante inferior à soma das dívidas, que atinge os 111 milhões de euros e os 64,3 milhões de euros, respetivamente. O Dolce Vita Coimbra, por seu lado, acumula dívidas de 77,8 milhões de euros, segundo noticia o Jornal de Negócios.

Estes centros comerciais estavam na posse da Chamartin, que em 2006 os adquiriu ao grupo Amorim. O Dolce Vita Braga, que está fechado e com a gestão entregue à Sonae Sierra, ficou na posse da Caixa Geral de Depósitos, enquanto o Dolce Vita Tejo foi vendido ao Eurofund Investments e ao ING.

Ao Expresso, a Chamartin declarou que esta operação "não interfere de nenhuma forma no desenvolvimento e gestão diária" de cada um dos centros comerciais.