Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Deco Alerta: Voar sem rede nas férias

Wikimedia commons
Wikimedia commons
Autor: Redação

O idealista News Portugal tem uma nova rubrica semanal, destinada a todos os consumidores em Portugal, que será assegurada pela Deco - Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor.

As companhias aéreas e as agências de viagem de baixo custo (low cost) são o tema do quinto artigo da rubrica "DECO Alerta", publicada todas as semanas.

Envia a tua questão para a Deco, por email para gcabral@deco.pt ou por telefone para 00 351 21 371 02 20.

Se estás a planear viajar de avião nestas férias ou a preparar uma “escapadinha” de verão, informa-te sobre os teus direitos de passageiro e pesquisa muito bem os preços finais antes de comprares a tua viagem.

A Deco analisou sítios de cinco companhias aéreas ditas low cost a operar em Portugal- a Ryanair, a EasyJet, a Transavia, a Vueling e a Condor e quatro agências de viagens de venda online- a Rumbo, a EDreams, a Logitravel e a NetViagens e ainda, em comparação uma companhia aérea nacional, a TAP Portugal. Queríamos conhecer a informação disponível nesses sites sobre os direitos dos passageiros e verificar a transparência de preços praticados.

Lamentavelmente, apurámos que as transportadoras aéreas ou apresentam informação incompleta ou simplemente não têm qualquer informação acerca dos direitos dos seus passageiros.

Embora não seja obrigatório que os direitos sejam apresentados na página de internet das operadoras ou agências de viagens, consideramos que esta prática deve ser cumprida, pois o aumento da compra e venda online de viagens e férias a tal obriga, e acreditando na boa prática dos agentes económicos envolvidos parece-nos que esta será uma atitude respeitosa dos direitos dos consumidores.

Quanto às agências de viagens que analisámos, a falta de rigor na informação prestada sobre os direitos dos passageiros e o preço total do transporte aéreo é ainda mais grave.

Os sítios de internet de duas das agências de viagens online, em concreto a EDreams e a Rumbo, revelaram diferenças entre o preço inicialmente anunciado, em regra mais reduzido e por isso mais atrativo e o efetivamente cobrado, assim como a informação pouco clara acerca de todos os encargos existentes, induzindo-se assim o consumidor em erro. Esta situação é uma prática comercial desleal enganosa, logo ilegal e deves ter conhecimento dela para evitar dissabores nas tuas férias.

Informa-te dos teus direitos e sabe mais sobre este trabalho no site da Deco: http://www.deco.proteste.pt/familia-vida-privada/ferias-lazer/noticia/companhias-aereas-low-cost-e-agencias-online-falham-na-informacao