Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Queres fazer negócio com a tua casa e aumentar a taxa de ocupação ou o preço por noite? O home staging ajuda-te

Autor: Redação

Ensinar a aproveitar e valorizar ao máximo o potencial de cada espaço e tornar as casas mais atrativas é o objetivo da rubrica quinzenal do idealista/news, assegurada pela Home Staging Factory.

Como em todas as vendas o mais importante é ter um produto de qualidade. Se o teu apartamento é mau e está mal localizado, mesmo aplicando as melhores técnicas de design de interiores e marketing, não vais conseguir ter muitos clientes.

Localização

O primeiro passo é ter uma casa bem localizada, de preferência no “coração” da cidade. Quando digo “coração” refiro-me não só à zona central como também à área mais querida e preferida pelos turistas. Em Lisboa, por exemplo, o “coração” é o chamado “triângulo dourado” e situa-se entre Santa Apolónia, Marquês de Pombal e Santos. Claro que há exceções e há outras áreas que conquistam muitos e bons clientes, mas esta é a zona top. 

Para perceber quais as zonas top basta saber o que atrai os turistas a determinada região. A praia, os locais de interesse turístico, o campo, a observação de pássaros?

O espaço

A localização é importante mas não é tudo. Um serviço de excelência, a oferta de transporte, o bom acolhimento, um cesto de boas vindas ou um espaço espetacular podem conquistar muitos e bons clientes e dar origem aos melhores feedbacks! 

Na verdade, o espaço é o produto em si. Se tiveres uma casa linda de morrer e bem trabalhada, mesmo que seja pequena vais conseguir conquistar clientes. No entanto, casas com dois ou mais quartos têm maior potencial de rendimento. Conseguem acomodar pelo menos quatro hóspedes e em muitos casos até seis. As casas pequenas também se arrendam, mas são menos competitivas face aos hotéis e a rentabilidade que se consegue é menos interessante.

Quando analisares uma casa para arrendamento temporário pensa nos seus trunfos e em todos as despesas e fontes de receita que poderás ter. Tem garagem? Vista? Terraço? Quantas pessoas pode acomodar confortavelmente? E a casa de banho chega para seis pessoas? Podes oferecer serviços extra como transporte para o aeroporto, visitas guiadas, serviço de compras de supermercado, refeições ou baby sitting?

Apresentação

Os turistas escolhem a casa na internet através das fotografias e do feedback dos outros hóspedes. A forma como apresentas a casa é fundamental e faz toda a diferença entre teres reservas ou não.

Para que a tua casa seja uma boa fonte de rendimento é necessário investires numa boa decoração e no conforto e equipamento da casa. A casa tem de parecer e ser acolhedora, cómoda, agradável e funcional. O ideal é mesmo conseguires que os hóspedes digam: “Uau, esta casa ainda é melhor do que parecia nas fotografias”. 

Decoração

A decoração é um dos pontos fundamentais para conquistar os hóspedes. Uma boa organização do espaço, mobílias com as dimensões adequadas e no sítio certo e uma palete de cores harmoniosa podem fazer milagres. 

Os turistas normalmente preferem casas relativamente minimalistas, práticas, funcionais, luminosas, limpas, bonitas e confortáveis. 

Não querem bibelots, naperons ou muitos objetos. Não querem coisas que deem trabalho ou que se possam partir facilmente. Querem um sofá confortável para descansar ao final do dia, um espaço agradável para refeições, camas confortáveis com um bom colchão e boas almofadas, roupa de qualidade e de preferência branca, um bom duche e bom equipamento. Querem WIFI rápido e fiável e valorizam ainda extras como equipamento de som, jogos, livros, filmes, informação turística ou produtos de primeira necessidade.

Os turistas querem espaços únicos com todas as comodidades e pagam mais para ficarem bem alojados

Conjugar todas estas variáveis, como a qualidade e conforto dos materiais, a funcionalidade do espaço, a estética e as limitações de budget e de tempo pode parecer tarefa fácil, mas na verdade não é. É muito fácil e ainda mais comum comprar um sofá que na loja parece pequeno e depois ocupa todo o espaço da sala. Ou uma mesa de jantar para uma casa de seis pessoas que afinal só tem espaço para quatro.

Além destes erros comuns, é importante ainda que a tua casa não pareça um catálogo ou stand de exposição de uma loja. Ninguém quer passar férias numa casa “chapa três” ou sentir-se numa manta de retalhos feita com as mobílias que mais ninguém quis. 

Na realidade, não há galinhas de ovo de ouro nem omeletes sem ovos, por isso se queres ter uma boa taxa de ocupação e um preço por noite interessante tens de olhar para a tua casa como um negócio e investir para teres um bom retorno.