Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Como escolher a iluminação da casa? Estas dicas podem ajudar-te (e muito)

Gtres
Gtres
Autor: Redação

Sabias que a iluminação é um dos pontos mais importantes da casa? Muitas vezes esquecemo-nos que ela existe, mas a verdade é que faz toda a diferença. Ajuda a delinear espaços, a torná-los mais ou menos confortáveis, ideais ou não para trabalhar, ler ou dormir. A luz é um elemento tão importante que chega a ser pensada desde o início da construção de uma casa, juntamente com o projeto de arquitetura.

Com a ajuda da MELOM*, empresa especializada e líder em remodelação de imóveis, ajudamos-te a tomar as decisões mais acertadas na hora de (bem) iluminar a casa.

Como tirar partido da iluminação natural?

A luz natural é a ideal para qualquer casa, pois de todos os tipos de luz é a mais confortável para o ser humano. Muitas vezes, e quando não é possível alterar os vãos da casa (portas e janelas), o ideal será tirar proveito da luz natural através da pintura das paredes em cor branca ou em tons claros, assim os raios de luz refletem em maior quantidade tornando o espaço mais iluminado. 

Deves evitar cortinados escuros e de tecidos espessos, a não ser que queiras bloquear por completo a luz, e nesse caso é aconselhável o uso de cortinados “blackout”. Os espelhos também ajudam a refletir a luz, por isso, e caso gostes, é uma opção para prolongar a luz natural em casa.

Como contornar as limitações? É possível criar mais pontos de luz?

Se estás a construir uma casa de raiz aproveita para pensar na iluminação, é sem dúvida a melhor altura para o fazeres. Lembra-te de criar pontos de luz direta nas áreas mais importantes da casa, como por exemplo na cozinha e casas de banho, e aproveita para criar zonas de luz indireta em zonas de passagem ou de descanso.

MELOM
MELOM

Caso não tenhas possibilidade de criar novos pontos de luz de raiz, poderás sempre criá-los artificialmente através de “puxadas” de eletricidade. Estes novos pontos de luz podem ficar escondidos por tetos ou paredes “falsas” de gesso cartonado ou então simplesmente com calhas ou cabos elétricos que deverão ser pintados da mesma cor da parede/teto de forma a neutralizá-los ao máximo. Para estas alterações é aconselhável que contactes um técnico especializado.

Que lâmpadas deves escolher?

Deverás optar sempre pela opção de LED. O consumo reduzido, a durabilidade e o impacto ecológico tornam as lâmpadas LED a opção ideal para a tua casa. 

Em primeiro lugar deverás escolher o casquilho adequado ao suporte (E14, E27, GU10, GX53 ou G9). Posto isto, deverás escolher o formato da lâmpada. Tem em conta que este aspeto é bastante importante quando se trata de candeeiros onde a lâmpada fica visível. Nestes casos, deverás escolher o formato globo ou gota, por se tratarem de formatos esteticamente equilibrados. 

MELOM
MELOM

Por último, e não menos importante, deverás escolher a intensidade da luz (lúmens) e temperatura de cor. Para luz ambiente, espaços de estar e de descanso deverás escolher lâmpadas até 400 lúmens, com temperatura de cor amarela. Por outro lado, para espaços de trabalho ou que requerem mais luminosidade deverás escolher lâmpadas com mais de 600 lúmens e de cor branca.

Como podes saber se a casa está bem iluminada? Onde deve haver melhor iluminação?

Quem nunca se queixou de dores de cabeça a ver televisão ou a ler? Provavelmente o problema está relacionado com a fraca iluminação. Sugerimos por isso que confirmes que tens pelo menos estas zonas bem iluminadas: bancada da cozinha, mesas de refeição, secretárias, zonas de leitura e casas de banho. 

*A elaboração deste artigo contou com o apoio técnico da MELOM.

MELOM
MELOM