Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Crise

Últimas notícias sobre "Crise" publicadas em idealista.pt/news

Portugal, um modelo de estabilidade na Europa... que esconde fragilidade - diz Bloomberg

Portugal está na moda e é apontado, internacionalmente, como um milagre. Mas parece que afinal nem tudo são rosas na economia nacional. O alerta é dado pela Bloomberg, que a poucos dias dos portugueses irem às urnas – as eleições legislativas realizam-se domingo (6 de outubro de 2019) – publicou um artigo no qual diz que Portugal é um modelo de estabilidade na Europa que esconde fragilidade.

Notícia sobre:

"A crise ainda não passou", considera mais de metade dos portugueses

Mais de metade dos portugueses considera que a crise não passou, mantendo a desconfiança e insegurança - que condicionam depois os comportamentos de consumo e poupança. O desemprego é uma das maiores preocupações.

Notícia sobre:

'Boom' imobiliário não chega para salvar emprego na construção - menos 14 mil trabalhadores em 2018

Depois da construção ter recuperado 55 mil empregos entre 2015 e 2017, no ano passado voltou a perder mais de 14 mil trabalhadores. O 'boom' imobiliário não está a ser suficiente para salvar emprego no setor.

Notícia sobre:

Portugal com metade de desempregados face à crise com a ajuda do imobiliário

Em setembro de 2013 - em plena crise económica - havia 697,3 mil desempregados registados em Portugal. Esse número caiu para cerca de metade e atualmente existem 334,9 mil pessoas sem trabalho inscritas nos centros de emprego, segundo os dados de novembro de 2018, divulgados pelo Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP). O imobiliário está entre as atividades com maior expressão nas ofertas de emprego mais recentes.

Notícia sobre:

Instabilidade internacional pode deixar projetos imobiliários na gaveta

Nos últimos anos a gestora SILVIP tem vindo a adaptar os dois fundos que gere – Fundo VIP e Fundo Sete Colinas – à nova dinâmica do mercado imobiliário. Em declarações ao idealista/news, o director geral explica o porquê desta mudança. Especialista em imobiliário, Luís Carita considera que o setor atravessa um bom momento, mas deixa o alerta: a burocracia da autarquia de Lisboa e o atual cenário internacional, nomeadamente o potencial efeito contágio dos Estados Unidos da América, Itália, Alemanha e Reino Unido, podem deixar projetos imobiliários em Portugal na gaveta.

Notícia sobre:

As 5 ameaças à economia mundial e os 20 países mais “em perigo” (Portugal é um deles)

Estará iminente (mais) uma crise financeira mundial? São várias as vozes que dão como certo esse cenário, entre elas a de Nouriel Roubini, o economista que anteviu a crise do subprime. E apesar das principais economias estarem a crescer, há várias ameaças a pairar sobre a economia mundial.

Notícia sobre:
Danièle Nouy, presidente do Conselho de Supervisão do BCE, alerta para perigos das taxas de juro variáveis / Gtres

BCE avisa que a próxima crise internacional estará ligada ao mercado imobiliário

Uma nova crise internacional vai rebentar. Desconhece-se onde e quando, mas sabe-se que vai acontecer e estará relacionada com o mercado imobiliário. Quem o diz é a presidente do Conselho de Supervisão do Banco Central Europeu (BCE). Danièle Nouy assegura, porém, que os bancos "estão melhor preparados" para enfrentá-la do que há uma década. A grande preocupação do momento são as taxas de juro variáveis.

Notícia sobre:

Consumo das famílias portuguesas voltou aos níveis pré-troika

Passados os anos negros da crise, a economia dá sinais de recuperação. Os níveis de consumo dos portugueses são prova disso: voltaram ao patamar anterior à troika. Quer isto dizer que as famílias regressaram às compras, sobretudo para adquirir bens duradouros. Entre eles destacam-se os automóveis, que passaram para o fim da lista de compras quando a crise se instalou.

Notícia sobre:
Financial Times

Títulos das obrigações italianas a dois anos disparam devido à crise política

Notícia sobre:

FMI otimista: economia portuguesa deve crescer 2,4% este ano

O Fundo Monetário Internacional (FMI) está otimista. Estima que economia portuguesa cresça 2,4% em 2018, ainda que continue a prever um abrandamento para o próximo ano. António Costa defende que estas “projeções otimistas” não se devem “aos astros”.

Notícia sobre: