Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Natalidade

Últimas notícias sobre "Natalidade" publicadas em idealista.pt/news

Natalidade trava a fundo em 2021

A natalidade está a travar a fundo em 2021, naquela que será mais uma consequência da pandemia da Covid-19. Em janeiro e fevereiro registaram-se 5.912 e 5.651 nados-vivos, respetivamente, menos 19,3% (-1.415) e 11,1% (-708) que nos mesmos meses do ano passado. Trata-se, segundo o Instituto Nacional de Estatística (INE), de uma tendência de decréscimo que se verifica desde julho de 2020.

Notícia sobre:

Nascem menos bebés na UE – Portugal contraria tendência

Nascem cada vez menos bebés na União Europeia (UE), tendo o ano de 2019 mantido essa tendência anual, com 4,17 milhões de nascimentos. Um cenário que não se verifica em Portugal, com o número de mães a dar à luz a aumentar desde, pelo menos, 2014. Em causa estão dados do Eurostat relativos à taxa de fertilidade na UE.

Notícia sobre:

Portugal é o quarto país da UE com onde nascem mais bebés “fora do casamento”

Portugal foi, em 2018, o quarto país da União Europeia (UE) com mais bebés nascidos “fora do casamento”: 55,9% do total de nascimentos. Trata-se do valor mais elevado de sempre, tendo aumentado 1% face ao ano anterior e mais que duplicado quando comparado com o ano 2000, revela o Eurostat.

Notícia sobre:

Quanto custa ter um bebé em Portugal?

A decisão de ter um filho implica, também, “fazer contas” à carteira, porque são muitas as despesas a ter em conta aquando do nascimento de um bebé. Um estudo realizado pela Picodi concluiu que o custo das compras necessárias durante a gravidez e o primeiro ano de vida do bebé é de 3.470 euros, isto um kit básico. Em Portugal, para se comprar esse mesmo kit básico são necessários 3,7 salários médios, mais que, por exemplo, em Espanha (3,2) e Itália (2,6). 

Notícia sobre:

Portugal à lupa: um país de 10,2 milhões de pessoas, mais velhas que novas - e outros detalhes

Há em Portugal 10.283.822 de pessoas, contadas nos dados da base de dados da Pordata. Vivem em risco de pobreza 18,3% de portugueses, mais 1,4% que na média da UE, e há mais velhos que novos no país.

Notícia sobre:

Há mais pessoas a nascer e casar em Portugal – mas também há mais óbitos

Em 2018, nasceram com vida 87.020 crianças de mães residentes em Portugal, mais 1% (mais 866 crianças) que no ano anterior, revelou o Instituto Nacional de Estatística (INE). A maioria dos nascimentos (55,9%) ocorreram “fora do casamento”.

Notícia sobre:

Quase 30% das mulheres portuguesas são mães com pelo menos 35 anos

A maternidade está a chegar cada vez mais tarde para as mulheres portuguesas. O aumento da proporção de “mães tardias” – que têm filhos com 35 ou mais anos – não é recente no país, mas está acentuar-se. Em 2015, as mulheres que são mães com pelo menos 35 anos representavam já quase 30% do total, colocando Portugal na quinta posição da União Europeia (UE) a este nível. 

Notícia sobre:

Em que mês nascem mais bebés em Portugal?

Setembro é (mesmo) o rei da natalidade. É neste mês que nascem mais bebés, segundo a média dos nascimentos por mês registada desde 2011. Em sete anos houve apenas duas exceções: 2011 e 2017, anos em que julho e outubro foram os meses com mais registos.

Notícia sobre:

Portugal tem a segunda taxa de natalidade mais baixa da UE

A população está a diminuir cada vez mais em Portugal, que acabou o ano passado com a segunda taxa de natalidade mais baixa entre os 28 Estados-membros da União Europeia (UE), depois de Itália. Portugal registou assim perto de 87 mil nascimentos, contra 110 mil óbitos, o que fez com que a população total tenha recuado de 10,341 milhões em 01 de janeiro de 2016 para 10,309 milhões de pessoas em 01 de janeiro de 2017, o que representa exatamente 2% da população comunitária.

Notícia sobre:

O maior número de crianças nasce em setembro. Sabes porquê?

É no mês de setembro que nascem mais crianças em Portugal. Quase 10 em cada 100 bebés de 2015 deram o primeiro grito de vida no nono mês do ano. Há 14 anos consecutivos que isto acontece, com exceção de 2011, segundo mostram os dados do Instituto Nacional de Estatística (INE). O que explica este fenómeno de sazonalidade dos nascimentos?

Notícia sobre: