Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Arrendas casas a turistas em Lisboa? Prepara-te para pagar uma nova taxa

Wikimedia commons
Wikimedia commons
Autor: Redação

A Câmara Municipal de Lisboa (CML) está em negociações com as várias plataformas online de arrendamento de casas para turismo para que estas também passem a cobrar a Taxa Turística Municipal (TTM). O objetivo da autarquia é abranger todas as entidades que disponibilizam anúncios com casas e apartamentos para arrendamento de férias para que a cobrança não esteja limitada apenas a hotéis e a estabelecimentos de alojamento local.

Segundo o i, as negociações envolvem entidades como a Airbnb e o HomeAway. A Airbnb, site que permite aos utilizadores arrendar toda ou parte da sua casa, fornecendo uma plataforma de busca e reserva entre a pessoa que oferece o alojamento e o viajante que procura onde ficar, garantiu que está “sempre preparada para conversar e colaborar com as autoridades em tudo o que envolve a sua atividade e não apenas sobre a taxa turística”.

“Estamos ainda em conversações em Lisboa. Mas noutras cidades, como os pagamentos são feitos pelos hóspedes dentro da plataforma Airbnb, a taxa é coletada pela Airbnb em nome dos anfitriões e depois entrega-a às autoridades”, adiantou a empresa, que está sediada em São Francisco (EUA).

A TTM, que entrou em vigor no início do ano, já permitiu à CML arrecadar 1,1 milhões de euros e abrange, numa primeira fase, hotéis e estabelecimentos de alojamento local. “Neste momento, o município já tem submetidos 1,1 milhões de euros. Já estão todos os hotéis (196) registados na plataforma e mais cerca de 2.100 alojamentos locais”, revelou o responsável pelo pelouro das Finanças, João Paulo Saraiva, citado pela publicação.

A autarquia pretende atingir até final do ano quase 16 milhões de euros e essa verba será revertida para um fundo turístico criado para financiar investimentos na capital. E para atingir estes valores será importante a cobrança por parte destas plataformas de arrendamento turístico.

De referir que a TTM é paga por todos os visitantes, incluindo lisboetas, com mais de 13 anos que durmam na cidade. O valor cobrado é de um euro por noite, independentemente do tipo de alojamento.

Trata-se de uma taxa sobre dormidas que existe em várias cidades europeias, sob modalidades distintas. No entanto, além das dormidas, a taxa será cobrada este ano nas chegadas por via aérea e marítima a Lisboa, mas a autarquia ainda não anunciou de que forma é que vai ser feita esta cobrança, escreve o i.