Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Crédito à habitação: Santander com spreads abaixo de 3%

Nos últimos meses, e contrariando uma tendência que se verificava há já algum tempo, os bancos começaram a mostrar maior disponibilidade para o crédito à habitação. Uma das medidas passa por baixar os spreads e aumentar os prazos de financiamento. Isso mesmo fez o Santander Totta, que através da campanha “Soluções Casa”, lançada em abril, ofereceu soluções para comprar, trocar ou remodelar a casa.

“O banco Santander Totta pretende estar presente para disponibilizar, em cada momento, as soluções de financiamento mais adequadas às necessidades dos clientes. A opção por comprar a primeira casa, por trocar a casa atual ou simplesmente remodelá-la depende do perfil e das preferências dos clientes, e o banco pretende oferecer soluções competitivas para todas essas realidades”, diz ao idealista News fonte oficial da entidade bancária. 

Para clientes interessados em comprar um imóvel, e que não têm um financiamento em curso no banco, o Santander está a praticar spreads a partir de 2,99%, adianta a mesma fonte. 

Os spreads também são competitivos no caso dos clientes que querem trocar de casa, sendo que o spread a aplicar ao novo empréstimo dependerá do “spread em vigor no empréstimo atual e do spread aplicável ao montante adicional que o cliente solicitar para a compra da nova casa”. “Por exemplo, considerando que o cliente tem em vigor um empréstimo de 130.000 euros com spread de 0,4% e que solicita um montante adicional de 70.000 euros. Ao novo crédito de 200.000 euros será aplicável um spread de 1,98% (assumindo um rácio financiamento/garantia de 60% no novo empréstimo)”, explica fonte do Santander.

No que diz respeito aos prazos, a entidade adianta que “todos os financiamentos no âmbito de crédito à habitação permitem a contratação de prazos até 50 anos”, sendo que no final do financiamento “nenhum dos titulares pode ter mais que 75 anos”.