Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Santander Totta imóveis: banco vende 600 casas e locais comerciais com desconto

Santander agência bancária / Wikimedia commons
Santander agência bancária / Wikimedia commons
Autor: Tânia Ferreira

O Santander Totta tem em curso duas campanhas de venda de cerca de 600 imóveis (de uma carteira total de 2000), que são propriedade do banco, com “condições de preço atrativas”. Para atrair quem quer comprar casas e imóveis comerciais que está agora a promover, a instituição oferece ainda spreads a partir de 2,35% e um financiamento que pode ir até 110% do preço de venda.

Os imóveis que agora estão em venda (lojas, escritórios, armazéns e habitacionais) “encontram-se um pouco por todo o país, mas há maior incidência nas localidades limítrofes de Lisboa e Porto”, revela fonte oficial do Santander Totta ao idealista News Portugal. Sem adiantar uma banda de preços, o banco diz apenas que “o valor é variável, em função do valor de avaliação de cada imóvel”.

Sem uma marca própria para o negócio imobiliário, como têm alguns dos seus concorrentes no mercado português, o Santander Totta utiliza diversos canais – os leilões, a força de vendas própria e uma rede de mediadores externos – para conseguir restituir ao mercado, “no mais curto prazo de tempo possível, os imóveis que recebemos”.

Nos próximos dias 12 e 13 de julho, por exemplo, vai realizar um leilão de imóveis através da Euroestates.

Sobre as campanhas fonte oficial do banco explica ao idealista News que, “recorrentemente, lançamos estas ações comerciais especiais, porque são limitadas no tempo e reservadas a um conjunto de imóveis, tempo esse durante o qual os imóveis incluídos na campanha são comercializados em condições de preço mais atrativas”.

As condições de financiamento que o Santander Totta está a oferecer para os imóveis que são propriedade do banco compreendem um spread a partir de 2,35% e um financiamento até 100% do preço de venda, podendo ainda o financiamento total superar o preço de venda (até mais 10%) mas na condição de ser inferior a 95% do valor de avaliação do imóvel.

“Naturalmente, o nível deste financiamento dependerá sempre do perfil de risco do cliente bem como da sua capacidade de reembolso”, frisa a mesma fonte. O diferencial de até 10% acima do preço de venda, destina-se a permitir ao comprador/mutuário fazer pequenas obras no imóvel e/ou cobrir os custos de aquisição (IMT, custos de escritura e de registo).

No final do primeiro trimestre de 2014, o valor de imóveis relativos a dação em pagamento era de 240 milhões de euros. No final de 2012 era de 225 milhões, de acordo com dados do Santander Totta.