Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Bancos antecipam aumento da procura de crédito à habitação...

Gtres
Gtres
Autor: Redação

E parece que a corrida ao financiamento bancário vai mesmo continuar. A maioria dos bancos antecipa um aumento da procura de crédito à habitação e ao consumo até março deste ano, depois de já terem verificado esta tendência no final de 2017, segundo o Inquérito sobre o Mercado de Crédito do Banco de Portugal (BdP), no qual participaram cinco bancos.

“A maioria dos bancos não antecipa alterações significativas na procura de empréstimos por parte das empresas, enquanto, no caso dos particulares, quatro instituições participantes antecipam um ligeiro aumento da procura de empréstimos em ambos os segmentos de crédito”, lê-se no comunicado do BdP.

A maioria das instituições "assinalou que a melhoria da confiança dos consumidores e o nível geral das taxas de juro contribuíram ligeiramente para o aumento da procura no segmento do crédito à habitação”, justificando, assim, a maior procura registada no último trimestre de 2017.

A procura vai aumentar, mas os critérios para a concessão de crédito vão manter-se. Os bancos dizem que permaneceram estáveis no trimestre anterior e que não esperam "alterações nos respetivos critérios de aprovação de crédito concedido a empresas e a particulares".

CDG tem spread mais baixo até final do mês

As campanhas agressivas para vender crédito estão na rua. E até a Caixa Geral de Depósitos (CGD) entrou na maratona do crédito fácil. O banco público decidiu baixar o spread que oferece aos consumidores, segundo escreve o Jornal de Negócios. Há quase três anos que a CGD tem o spread mais alto do mercado, oferecendo uma margem mínima de 1,75%. No entanto, e até ao final do mês, os empréstimos que forem solicitados podem conseguir um spread de 1,6%, que é, ainda assim, o terceiro mais elevado do setor. O mais baixo é o do Bakinter.

De recordar que o banco estatal tem em vigor a campanha de crédito à habitação “Caixa Casa Fast”, uma solução rápida de crédito para a compra de casa na qual a CGD diz ser possível assegurar a respetiva contratação em 15 dias úteis, o intervalo de tempo entre a simulação e a tomada de decisão.