Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Taxas de juro no crédito à habitação recuam em 2017

Gtres
Gtres
Autor: Redação

A taxa de juro implícita no crédito à habitação subiu 0,2 pontos base em dezembro face ao mês anterior, fixando-se em 1,019%. O montante do capital médio em dívida aumentou 44 euros, para 51.690 euros, enquanto a prestação média vencida manteve-se nos 239 euros. Em termos anuais, em 2017, a taxa de juro média fixou-se em 1,020%, um valor 7,9 pontos base inferior ao ano anterior.

Os números revelados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) permitem ainda concluir que o capital médio em dívida diminuiu 224 euros em 2017 face a 2016, para 51.572 euros. Já a prestação média anual vencida manteve-se nos 238 euros.

“Para o conjunto do ano de 2017, a taxa de juro média anual implícita nos contratos de crédito à habitação fixou-se em 1,020%, diminuindo 7,9 pontos base face à taxa verificada em 2016, tendência que se verifica desde 2011, com exceção de um ligeiro acréscimo em 2014. No destino de financiamento Aquisição de Habitação, a taxa de juro média reduziu-se 7,2 pontos base, situando-se em 1,033%. A taxa de juro implícita apresentou uma redução acumulada entre 2015 e 2017 de 24,9 pontos base. No mesmo período, a taxa de juro de referência do crédito à habitação, a Euribor a seis meses, diminuiu 31,4 pontos base”, lê-se no comunicado do INE.

Segundo a entidade, no ano passado, “o capital médio anual em dívida para o total do crédito e para o destino de financiamento Aquisição de Habitação passou de 51.796 euros e 58 357 euros em 2016, para 51.572 euros e 58.082 euros em 2017”, pela mesma ordem.

Já a prestação média anual vencida para manteve-se em 238 euros. “No destino de financiamento Aquisição de Habitação, verificou-se um aumento de um euro entre 2016 e 2017. Este aumento foi determinado pela componente amortização, que subiu dois e três euros para o Total e para o destino de financiamento Aquisição de Habitação, respetivamente”.