Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Crédito à habitação já está a sentir os efeitos da Covid-19

Concessão de novos empréstimos para a compra de casa abrandou em abril, para mínimos de oito meses

Photo by Twitter: @jankolario on Unsplash
Photo by Twitter: @jankolario on Unsplash
Autor: Redação

Depois de um arranque de ano em força, com o melhor primeiro trimestre desde a crise financeira de 2008, a concessão de novo crédito à habitação está agora a enfraquecer, dando sinais de contágio da Covid-19. Os empréstimos para a compra de casa registaram em abril o valor mais baixo em oito meses, com os bancos a financiarem menos 121 milhões de euros, face ao mês anterior.

Em concreto, e segundo os dados mais recentes do Banco de Portugal, as novas operações de crédito à habitação cairam 952 milhões de euros, em março, para 831 milhões de euros em abril, evidenciando os efeitos negativos da pandemia na economia. Apesar da quebra mensal, o novo crédito à habitação cresceu 3,5% face aos 803 milhões de euros no mesmo mês do ano passado.

No que diz respeito ao crédito ao consumo, o impacto do novo coronavírus foi ainda mais forte, verificando-se menos de metade do volume financiado pelos bancos em março. Segundo os dados do Banco de Portugal, foram concedidos 177 milhões de euros em financiamentos ao consumo, durante o mês de abril, valor que contrasta com 421 milhões emprestados em março.

Também o crédito para outros fins baixou de 240 milhões de euros para 131 milhões de euros e os empréstimos destinados às empresas recuaram para 2.701 milhões de euros, face aos 2.877 milhões de euros concedidos em março. No entanto, os montantes financiados às sociedades não financeiras ficam acima dos 2.373 milhões emprestados em abril de 2019.