Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Banca volta a dar mais crédito à habitação

Estatísticas do Banco de Portugal mostram que o 'stock' dos financiamentos para a compra de casa subiu ligeiramente em julho.

Photo by Ярослав Алексеенко on Unsplash
Photo by Ярослав Алексеенко on Unsplash
Autor: Redação

O total de empréstimos para a compra de casa atingiu os 93,618 mil milhões de euros em julho, o que corresponde a uma ligeira subida de 0,18% face a junho e de 0,86% em termos homólogos. As mais recentes estatísticas do Banco de Portugal (BdP) mostram que o 'stock’ total de empréstimos aos particulares foi de 119,176 mil milhões de euros em julho, o valor mais elevado desde novembro de 2015 e correspondendo a aumentos ligeiros 0,17% face a junho e 1,22% face ao mesmo mês de 2019.

No crédito ao consumo, segundo os dados revelados pelo banco central esta quinta-feira, dia 27 de agosto de 2020, o valor concedido em julho era de 19,058 mil milhões de euros, semelhante a junho (0,07%) mas com um crescimento de 6,41% em termos homólogos. Os empréstimos a outros fins totalizavam 6,501 mil milhões de euros em julho, mais 0,21% face a junho, mas menos 7,4% do que em julho do ano passado.

Por outro lado, que os financiamentos a empresas chegaram a 71,585 mil milhões de euros no final de julho, mantendo-se no valor mais elevado desde setembro de 2018, mais 0,96% do que em junho e mais 2,66% do que no mesmo mês de 2019.

O crédito malparado no crédito à habitação representava 0,7% em julho, o mesmo valor de junho e abaixo dos 1,3% do mesmo mês do ano passado. Já no crédito ao consumo e outros fins, o malparado representava 6,7% em julho, tanto abaixo dos 6,9% de junho como dos 7,5% de julho de 2019. E nas empresas representava, em julho, 4,1% do crédito total, o mesmo valor de junho e abaixo dos 7% de julho de 2019.

Analisando pelo número total de devedores (e não pelos montantes do crédito), segundo o Banco de Portugal, 9,3% dos particulares tinham em julho empréstimos vencidos, abaixo dos 9,6% de junho, mas acima dos 9% de julho de 2019. Já nas empresas, o número de devedores era de 18,9% do total em julho, abaixo dos 19,2% tanto de junho como de julho de 2019.

Com base nos dados revelados esta quinta-feira pelo banco central nacional, conclui-se ainda que os depósitos de particulares nos bancos residentes totalizavam 159,2 mil milhões de euros no final de julho, mais 1,8% do que em junho e mais 6,5 do que em julho em 2019.