Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Novo crédito à habitação cresce 8,4% no primeiro semestre - licenças para obras em queda

Até junho, foram licenciadas 7.764 obras de construção nova e reabilitação de edifícios habitacionais. Uma quebra de 7,4%, em termos homólogos acumulados.

Autor: Redação

Nos primeiros seis meses deste ano, no novo crédito concedido pelas instituições financeiras para a compra de casa, foi registado um crescimento, em termos homólogos acumulados, de 8,4%, para 5342 milhões de euros, segundo dados revelados esta segunda-feira, 7 de setembro de 2020, pela Associação dos Industriais da Construção Civil e Obras Públicas (AICCOPN). A síntese estatística revela ainda que os valores de avaliação imobiliária da habitação efetuada para efeitos de crédito bancário registaram, em junho, um valor mediano de 1.115 euros por metro quadrado (m2), um aumento de 8,3% face aos 1.023 euros por m2 apurados no mês homólogo.

Segundo a AICCOPN, até junho, foram licenciadas pelas autarquias 7.764 obras de construção nova e reabilitação de edifícios habitacionais, o que corresponde a uma redução de 7,4%, em termos homólogos acumulados. Quanto ao licenciamento de fogos em construções novas verifica-se uma quebra de 3,7%, em termos homólogos, para um total de 11.308 habitações. “Note-se que, analisando apenas o mês de junho, apura-se um crescimento de 9,4% nas obras em edifícios residenciais e de 4,8% no número de fogos em construções novas, em termos homólogos”, refere, contudo, a AICCOPN.

AICCOPN
AICCOPN

No período em análise, o consumo de cimento no mercado nacional cresceu 9,7%, em termos homólogos, totalizando cerca de 1,76 milhões de toneladas.

A síntese destaca a Região Norte, onde o número de fogos licenciados em construções novas nos doze meses terminados em junho de 2020 totalizou 10.498, o que traduz um aumento de 12,5% face aos 9.331 alojamentos licenciados nos 12 meses anteriores. Destes, 62% são de tipologia T3 ou superior, 22% de tipologia T2 e 14% de tipologia T1 ou inferior. Quanto aos valores de avaliação bancária na habitação nesta região verificou-se, em junho, um aumento em termos homólogos de 9,7% para 982 euros por m2.