Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Clientes do Popular vão pagar mais no Santander

Autor: Redação

O Banco de Portugal veio declarar que a incorporação do Popular no Santander Totta  “não implica qualquer alteração” na atividade do banco em Portugal, onde será assegurada a “continuidade dos serviços”. Mas para os clientes que, por força da operação, mudam de banco, isso não é bem assim. A fatura dos encargos com comissões no Santander, face ao Popular, pode subir até 25%. 

Os cálculos do ECO têm em conta os preçários em vigor nas duas instituições financeiras e um conjunto de comissões básicas. Assumindo os preçários atuais, os encargos anuais dos clientes do Popular podem crescer em torno de 20%, só tendo em conta os custos associadas à detenção de uma conta bancária. Ou seja, a manutenção de conta, as anuidades dos cartões de débito e crédito, levantamentos ao balcão, requisição de cheques e transferências online. Mas podem chegar aos 25% se forem tidos em conta os encargos do processamento mensal da prestação do crédito à habitação.

A manutenção de conta é, segundo o jornal, a única comissão em que o Santander Totta apresenta um custo inferior ao que é cobrado pelo Banco Popular: menos 9,60 euros por ano, face aos 74,88 euros atualmente em vigor no popular. Em ambos, os clientes só ficam isentos do pagamento desta comissão se tiverem recursos médios trimestrais de valor superior a 5.000 euros.

Já no caso da anuidade do cartão de débito, essencial para utilizar a conta, o Santander Totta cobra mais: anuidade é de 17,00 euros, o que compara com 15,60 euros no Banco Popular. O mesmo acontece com o cartão de crédito, onde as anuidades são de 20,80 e 15,60 euros, respetivamente. Ou seja, o Totta cobra mais 33%.

Para além dessas, noutras comissões também mais usadas pelos clientes dos bancos, também se observam valores de preçários mais elevados no caso do Totta. Considerando a realização de três transferências mensais através da internet para outra instituição, no Santander Totta custa 50% mais do que no Popular: 56,16 contra 37,44 euros, ao fim de um ano. Já na requisição de cheques, o Santander Totta cobra o dobro do Popular. A emissão de 12 cheques implica um encargo de 19,97 e 9,98 euros, respetivamente. Nos levantamentos, a diferença é mais curta: o Totta cobra mais 25%. Em concreto 62,4 euros por 12 levantamentos ao balcão. No Popular, o mesmo custa 49,92 euros.