Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Pensões de antigos políticos vão custar mais de 7,2 milhões em 2018

Autor: Redação

As subvenções mensais vitalícias dos titulares de cargos políticos vão custar mais de 7,2 milhões de euros aos cofres do Estado. As despesas com estas pensões têm vindo a aumentar desde 2016, ano em que foram eliminados os cortes aplicados durante o programa de resgate financeiro. Neste momento, há 327 beneficiários.

A notícia é avançada pelo Correio da Manhã, que revela alguns dos nomes da lista. “No atual universo de 327 beneficiários da pensão dos políticos para toda a vida, os cinco primeiros têm pensões atribuídas de valor apreciável: Vasco Rocha Vieira, ex-governador de Macau, tem 13.607 euros por mês, ainda que este montante esteja sujeito a uma redução parcial por imposição legal; Carlos Melancia, também ex-governador de Macau, tem 9.727 euros por mês; Jorge Hagedorn Rangel, que esteve também ligado a Macau, tem 6.633 euros por mês; António Guterres, antigo primeiro-ministro e atual secretário-geral da ONU, tem 4.138 euros por mês; e João de Deus Pinheiro, ex-ministro dos Negócios Estrangeiros e ex-comissário europeu, tem 3.967 euros por mês”.

De recordar que em 2016, na sequência do acórdão do Tribunal Constitucional que considerou inconstitucional o corte aplicado nessa subvenção para ex-políticos, a reposição das pensões vitalícias custou 10 milhões de euros. Três dos contemplados a receber a reforma "foram acusados de crimes pela Justiça: José Sócrates, antigo primeiro-ministro, Domingos Duarte Lima, ex-deputado do PSD, e Miguel Macedo, ex-ministro da Administração Interna”, escreve a publicação.