Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

... Descobre como e onde podes aplicar o dinheiro

Autor: Redação

Está oficialmente aberta a época da chegada do reembolso do IRS. Há contribuintes, aliás, que já estão a receber os devidos pagamentos. Há quem aproveite para saldar dívidas, pôr o valor em contas poupança, mas há também quem decida pôr o dinheiro a render. Mostramos-te algumas soluções de investimento.

“Os reembolsos nunca serão muito elevados, pelo que as soluções de investimento são produtos sem risco ou de baixo risco, que têm taxas de juro muito baixas", disse António Ribeiro, economista da Proteste Investe, publicação financeira da Associação para a Defesa do Consumidor (DECO), citado pelo Notícias ao Minuto, que destacou cinco produtos nos quais poderás investir o dinheiro do IRS.

1- Depósitos promocionais

António Ribeiro explicou que existem depósitos promocionais que oferecem taxas de rentabilidade mais vantajosas, com juros superiores à inflação. A desvantagem é esta: são de curto prazo, ou seja, são entre três a seis meses. O economista frisou que, "com mais algum trabalho" poderás ter mais rentabilidade caso transfiras o dinheiro entre vários depósitos deste tipo quando terminado o tempo. Estes depósitos estão disponíveis, por exemplo, no Banco Carregosa, no BIG, Banco Best e BNI Europa.

2- Seguro de capitalização

Trata-se de uma solução de médio/longo prazo, que pode ser subscrita por 20/50 euros por mês. Entre as vantagens estão, por exemplo, os benefícios fiscais adjacentes a esta solução. Mas há um problema, nomeadamente as comissões bancárias. A ”Escolha Acertada” para a DECO, segundo o Notícias ao Minuto, é o seguro Generali + Poupança, da companhia de seguros Generali.  

3- PPR com risco

Trata-se de uma solução orientada para a canalização de dinheiro para a reforma. A pessoa que subscreve este PPR deverá estar a mais de 10 anos da reforma, para que "caso apareçam anos controversos pela frente, possam recuperar o dinheiro", referiu António Ribeiro. Neste caso, a DECO recomenda o fundo Alves Ribeiro - PPR, do Banco Invest, que "no ano passado rendeu quase 11%".

4- Replicação de uma carteira de fundos

O economista refere-se às carteiras de fundo da Proteste Investe – sem capital garantido –, que podem ser subscritas por 10 euros e que são um produto com risco. Segundo o site oficial, são propostas três carteiras "compostas por fundos de vários tipos de ativos e de diferentes zonas geográficas”.

5- PPR com capital garantido sob a forma de seguro

Trata-se de um produto mais seguro que um PPR tradicional, uma vez que o capital é garantido. A “Escolha Acertada” para a DECO é o Lusitânia Poupança Reforma PPR. A solução ofereceu em 2016 e nos últimos três anos uma taxa de rentabilidade média de 4,2%, segundo António Ribeiro.