Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Escritura de venda da Herdade da Comporta assinada em abril

Herdade da Comporta
Herdade da Comporta
Autor: Redação

A venda de dois ativos imobiliário-turísticos da Herdade da Comporta, por 158 milhões de euros, foi um dos grandes negócios imobiliários de 2018, tendo ficado consumado em novembro. Os novos donos – o consórcio formado pela Amorim Luxury (Paula Amorim) e pela Port Noir Investments (Claude Berda) – têm estado a negociar o acesso a terrenos e a infraestruturas partilhadas com a Herdade da Comporta e a escritura será assinada em abril.

Segundo o Jornal de Negócios, os novos donos destes dois ativos, localizados nos concelhos alentejanos de Grândola e Alcácer do Sal, precisaram de negociar o acesso a terrenos e a infraestruturas, por exemplo elétricas, que até agora eram partilhadas com a Herdade da Comporta, que se encontra à guarda da justiça portuguesa e suíça, no âmbito da insolvência do Grupo Espírito Santo.

Os representantes de Paula Amorim e Claude Berda têm estado a negociar com os tribunais aspetos particulares como as servidões de passagem, para que estes dois ativos não estejam dependentes, em matéria de infraestruturas, da Herdade da Comporta. Um processo administrativo que deverá estar concluído em abril, disse fonte ligada ao processo. 

O consorcio vencedor é formado pela Amorim Luxury (Paula Amorim) e pela Port Noir Investments (Claude Berda), sendo que a empresária portuguesa controla 12% do consorcio e o milionário francês, que em Portugal controla também a Vanguard Properties, detém os restantes 88%.

A primeira fase de intervenção do consórcio passa pela construção de 52 moradias turísticas, as quais implicam um investimento de 300 milhões de euros. O consórcio, em novembro, anunciou que o seu plano para a Comporta, a desenvolver num horizonte de 15 anos, implica um investimento de mil milhões de euros.