Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

As dicas de Bill Gates para se acumular fortuna

Gtres
Gtres
Autor: Redação

Acumular fortuna soa como uma missão impossível, mas parece que, afinal, até não é difícil. Pelo menos para o fundador da Microsoft, Bill Gates, que diz ter uma receita “simples” que o faz continuar a engordar o património. "A estratégia usada nos investimentos é ter mais de 60% em ações”, disse numa entrevista à Bloomberg, explicando que  não está com uma postura defensiva “como a maior parte está".

E ao que parece esta estratégia ajudou Bill Gates tem estado mesmo a dar resultados positivos, permitindo-lhe aumentar o seu património líquido em 16 mil milhões de dólares este ano, elevando a sua fortuna para 106 mil milhões de dólares. Está apenas atrás de Jeff Bezos no Bloomberg Billionaires Index, mesmo tendo feito doações que superam os 35 mil milhões de dólares.

Impostos podem comer fortuna

O crescimento, supervisionado pelo diretor de investimentos do multimilionário, Michael Larson, que comanda o "family office" Cascade Investment, permitiu que Gates construísse a maior fundação privada do mundo sem diminuir a sua fortuna. Mas essa riqueza pode começar a encolher se começarem a ser aplicados impostos mais altos, relembra a agência financeira.

"Duvido que os EUA criem um imposto sobre a riqueza, mas eu não seria contra", assumiu Gates durante a entrevista. "O mais próximo que temos disso é o imposto predial. E tenho sido um grande defensor de que isso deva voltar ao nível de 55% praticado há algumas décadas”.

A desigualdade tornou-se, de resto, uma questão política polémica. Os 0,1% mais ricos dos EUA controlam mais riqueza do que em qualquer outra época desde 1929, segundo a Bloomberg. A Fundação Bill e Melinda Gates divulgou recentemente o seu relatório anual Goalkeepers, que procura monitorizar e ajudar o progresso das Nações Unidas para atingir os seus Objetivos de Desenvolvimento Sustentável que, segundo a fundação, estão a ser prejudicados pela desigualdade persistente. O relatório pedia um maior investimento em saúde, educação e tecnologia para ajudar a reduzir a desigualdade no mundo, de acordo com a agência financeira.

Bill Gates apoia o aumento de impostos sobre os rendimentos mais altos, tendo feito um apelo por uma maior transparência. "Defendo mais transparência financeira. Não gosto que se possa ter fundos de que ninguém sabe quem é o dono”, referiu. Ainda que o fundador da Microsoft continue otimista em relação aos EUA e à economia global, duvida que o desempenho de que desfrutou no passado persista. "Há razões para pensar que retornos absolutos para a próxima década serão menores do que foram nas últimas décadas”, concluiu.