Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Há mais milionários a migrar para fugir a conflitos e impostos

Photo by Andrew Worley on Unsplash
Photo by Andrew Worley on Unsplash
Autor: Redação

O número de indivíduos de altos rendimentos a querer mudar de país está a aumentar. Cerca de 108 mil milionários migraram em 2018, um aumento de 14% em relação ao ano passado, e mais do dobro que em 2013. Austrália, EUA e Canadá são os destinos favoritos dos “endinheirados”. China e a Rússia são os países de onde “mais fogem”.

Os números da migração de riqueza podem ser explicados pelas condições atuais, como o crime, a falta de oportunidades de negócios ou as tensões religiosas, mas também como um indicador futuro.

“Pode ser um sinal de que coisas más estão por vir, uma vez que os indivíduos de altos rendimentos são, muitas vezes, as primeiras pessoas a irem embora - têm os meios para isso, ao contrário dos cidadãos de classe média", explica Andrew Amoils, chefe de análise da New World Wealth, a consultora responsável pelo estudo.

Os melhores destinos

O país “mais querido” dos milionários é a Austrália, segundo a Bloomberg, por causa da perceção de segurança, de não existir nenhum imposto sobre heranças, e dos fortes laços comerciais com a China, Japão e Coreia do Sul. O país também se destaca pelo seu crescimento sustentado – escapou ileso da crise financeira e evitou recessões nos últimos 27 anos.

O segundo destino mais popular em 2018 foram os EUA, em particular as cidades de Nova Iorque, Los Angeles e Miami.

Milionários de saída da China

A decisão do governo chinês de restringir a saída de capital nos últimos anos colocou muitos dos cidadãos mais ricos do país na mira das autoridades tributárias, provocando um deslocamento de ativos e pessoas. Os asiáticos com altos rendimentos, e que se mudam para os países desenvolvidos, vão sobretudo à procura de mais conforto e melhor educação para os filhos.

A saída deste tipo de indivíduos não é, apesar de tudo, particularmente preocupante do ponto de vista económico, uma vez que se trata de um país onde há mais milionários a surgir do que a sair, segundo a publicação norte-americana.

Bloomberg
Bloomberg

Há outros países a deixar os milionários escapar. A Turquia perdeu 4.000 milionários no ano passado, por exemplo. Da Rússia saíram outros 7.000, sobretudo quando o país enfrentava sanções devido à anexação da Crimeia.