Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Cortes nas pensões: Governo promete pagar retroativos com tabelas de IRS

Segurança Social justifica o sucedido com o atraso na publicação e garante que vai corrigir a situação em fevereiro.

Photo by Fabrizio Verrecchia on Unsplash
Photo by Fabrizio Verrecchia on Unsplash
Autor: Redação

As pensões pagas em janeiro de 2020 deveriam refletir dois aumentos: a atualização regular e a subida extraordinária, mas não foi isso que aconteceu. Há muitos reformados a queixarem-se, de terem recebido menos do que o esperado, e a explicação para estes cortes nas pensões está nas tabelas de IRS, que ainda não foram publicadas. A Segurança Social garante que o problema ficará resolvido no próximo mês de fevereiro e feito o pagamento de retroativos.

Depois de ter recebido várias queixas, a Segurança Social (SS) emitiu um comunicado a esclarecer a situação, referindo ter procedido “ao aumento das pensões em janeiro, com a atualização regular dos valores legalmente previstos", isto é, que “no pagamento do mês de janeiro foram aplicadas as tabelas de retenção de IRS em vigor, ou seja, as tabelas de 2019”.

Assinala, contudo, que “em alguns casos muito específicos, e tal como em anos anteriores, o aumento do valor bruto da pensão resultou numa mudança de escalão", daí o valor recebido ser mais baixo.  A situação deverá ser corrigida com o pagamento das pensões no próximo mês (fevereiro) com a atualização da tabela de retenção de IRS 2020, com efeitos retroativos a janeiro.

Com base no valor definitivo da inflação média dos últimos 12 meses sem habitação registada em novembro, as pensões até dois Indexantes de Apoios Sociais (IAS), ou seja, até 877,6 euros brutos, onde se inclui a maioria dos pensionistas, aumentam 0,7% (inflação sem habitação arredondada a uma casa decimal mais 0,5 pontos percentuais) em janeiro, segundo a Lusa. Este ano o aumento foi de 1,6% para estes pensionistas.