Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Clubhouse: a nova rede social que anda a dar que falar - como funciona

Na Clubhouse não há partilhas de fotografias (a não ser a de perfil), vídeos e texto, ou seja, toda a comunicação é feita em áudio, por voz.

Photo by William Krause on Unsplash
Photo by William Krause on Unsplash
Autor: Redação

Chama-se Clubhouse e promete – já está, na verdade – dar que falar. É a rede social do momento, a que anda nas bocas do mundo. Para já só está disponível para iOS, ou seja, para quem tem um iPhone, e para se entrar/usar é necessário receber um convite. Fica a saber em que consiste esta aplicação e como funciona.

Na Clubhouse não há partilhas de fotografias (a não ser a de perfil), vídeos e texto, ou seja, toda a comunicação é feita em áudio, por voz, e em direto. Não é possível, de resto, enviar mensagens a outros utilizadores. O que se faz, então? Acumulam-se seguidores e seguem-se outras pessoas, sendo possível entrar em salas de conversação e receber notificações que indicam que vai começar uma conversa que talvez interesse.

Para participar numa conversa é preciso ter autorização de um dos moderadores, caso contrário apenas é possível entrar para ouvir a conversa. Há ainda a possibilidade de criar a própria sala, que pode ser pública a todos, para pessoas que se segue ou privada para pessoas que se convidar, explica o Observador.

Trata-se de uma plataforma que foi lançada em 2020 e que está, agora, a ganhar mais popularidade, inclusive em Portugal. Segundo o ECO, a 24 de janeiro de 2021, o fundo Andreessen Horowitz, conhecido por apostar cedo em empresas de sucesso e por ter sido um dos primeiros investidores do Facebook, anunciou ter juntado a Clubhouse, fundada por Paul Davison e Rohan Seth, ao seu portefólio.

“Não podia ter surgido numa melhor altura para as redes sociais. Reinventa essa categoria de todas as formas certas, desde a experiência de consumo de conteúdo à forma como as pessoas se relacionam umas com as outras”, explicou um responsável do fundo. De acordo com a publicação, estima-se que a app já valerá cerca de mil milhões de dólares.

Elon Musk dá popularidade à app

O facto de, recentemente, Elon Musk, patrão da Tesla, ter entrado numa sala do Clubhouse e ter estado à conversa com os utilizadores, incluindo com Marc Andreessen, um dos fundadores da Andreessen Horowitz, trouxe ainda mais popularidade à Clubhouse.

De acordo com o ECO, Musk falou sobre colonizar Marte, sobre viagens espaciais, sobre inteligência artificial e até sobre as vacinas contra a Covid-19, sendo que, a certa altura, juntou-se à conversa Vlad Tenev, um dos fundadores da aplicação Robinhood. 

O Dinheiro Vivo acrescenta, de resto, que Elon Musk anunciou que a próxima conversa em que vai participar na Clubhouse vai contar com o músico Kayne West.

Em Portugal a app ainda está a crescer, um cenário que se deverá manter nos próximos tempos, nomeadamente tendo em conta que os utilizadores de smartphones Android ainda não têm acesso à plataforma. Uma das presenças assíduas na aplicação é a de Paddy Cosgrave, fundador da Web Summit, recorda o ECO, salientando que o ex-comissário europeu Carlos Moedas, o fundador do Livre, Rui Tavares, e o presidente executivo da Fundação José Neves, Carlos Oliveira, também já são utilizadores da Clubhouse.