Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Correr ao ar livre com máscara: Sim ou não? Faz mal à saúde?

Apesar de poder interferir com a respiração, a utilização de máscara não é desaconselhada.

Photo by Emma Simpson on Unsplash
Photo by Emma Simpson on Unsplash
Autor: Redação

O exercício físico continua a ser permitido ao ar livre de forma individual e persistem as dúvidas sobre a utilização de máscara durante uma corrida ao ar livre, por exemplo, uma vez que esta poderá interferir com a respiração. Apesar de não haver nenhuma orientação geral nesta matéria em Portugal, os especialistas consideram que usar a máscara durante a prática desportiva não faz mal à saúde e ajuda no combate à pandemia da Covid-19.

Jaime Nina, médico e professor no Instituto de Higiene e Medicina Tropical da Universidade Nova de Lisboa (IHMT-UNL),  explica ao P3 que “é um facto comprovado que as máscaras interferem com a respiração e baixam a oxigenação de sangue”, mas não encontra “nenhum inconveniente para que cada pessoa faça o seu jogging com máscara”.

Uma opinião partilhada por Rute Santos, investigadora-coordenadora no Centro de Investigação em Atividade Física, Saúde e Lazer da Universidade do Porto. A especialista refere que “a prova científica preliminar, aparentemente ainda não muito definitiva, diz-nos que, de facto, podemos fazer exercício físico com máscara sem daí advir qualquer prejuízo para a saúde”.

Além disso, a investigadora reforça, sobretudo, a importância de manter a distância de segurança. “Não estamos proibidos de sair à rua para fazer o nosso exercício físico, devemos é tentar fazê-lo de preferência sozinhos, com o máximo de segurança e afastados uns dos outros”, defende.

Uma ideia igualmente reforçada por Jaime Nina, que avisa ainda para a necessidade de se ter atenção à dimensão das salas e número de pessoas quando os ginásios reabrirem – algo que deverá acontecer a partir de 5 de abril de 2021. De acordo com o infecciologista, “as pessoas não se podem esquecer que o desportista que está a fazer um determinado exercício tem um ritmo respiratório mais acelerado e, por isso, a probabilidade de inalar o vírus é proporcional ao ritmo respiratório”.

Máscaras podem manter-se durante anos

As máscaras deverão continuar a fazer parte do dia a dia das populações durante mais algum tempo, assim como as regras de distanciamento físico. Mary Ramsay, responsável do programa de vacinação do Reino Unido, prevê mesmo que o uso da máscara individual se mantenha durante alguns anos. “É importante que não haja um relaxamento muito rápido das medidas”, disse numa entrevista, citada pelo Público.

“As pessoas já se acostumaram a este tipo de restrições e podem continuar a viver com elas”, referiu a epidemiologista britânica. “Acredito que essas medidas se prolonguem durante alguns anos, pelo menos até que outras partes do mundo estejam tão bem vacinadas quanto nós [Reino Unido], e com os números mais reduzidos também. Só aí poderemos voltar gradualmente a uma situação mais normal”, frisou ainda.

A especialista considera que é preciso muito cuidado antes de se levantarem qualquer tipo de restrições de combate à pandemia, e defende que a retoma de grandes eventos, com várias aglomerações de pessoas, requer um planeamento cuidadoso e instruções claras.