Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Descontos no IRS Jovem: como funciona e a quem se destina

Os jovem podem beneficiar do apoio se entrarem no mercado de trabalho até aos 26 anos de idade, no máximo.

Photo by ThisIsEngineering from Pexels
Photo by ThisIsEngineering from Pexels
Autor: Redação

Esta é uma das grandes novidades da proposta do Orçamento do Estado para 2022 (OE2022) e que vai ter impacto na carteira dos mais jovens. O Governo pretende alargar de três para cinco anos o programa IRS Jovem, que deixa de ter limite de rendimento e que passa a abranger, também, os trabalhadores independentes. Este desconto no IRS terá, de resto, um caráter automático. Afinal, como é que este benefício fiscal funciona? E a quem se aplica?

Segundo a proposta do OE para 2022, o regime funciona como um desconto no imposto sobre o rendimento do trabalho (categorias A e B, dependente e independente) e aplica-se a jovens com idades entre os 18 e os 26 anos. Na prática, “ficam parcialmente isentos de IRS, nos cinco primeiros anos de obtenção de rendimentos do trabalho após o ano da conclusão de ciclo de estudos igual ou superior ao nível 4 [ensino secundário] do Quadro Nacional de Qualificações”, segundo o documento.

A idade limite, neste caso, pode ser estendida até aos 28 anos, inclusive, no caso de o ciclo de estados corresponder ao nível 8 do Quadro Nacional de Qualificações (doutoramento), sendo esta outra diferença face ao regime em vigor.

A medida aplica-se no primeiro ano da obtenção de rendimentos após a conclusão do ciclo de estudos e nos quatro anos seguintes, desde que a opção seja exercida até à idade máxima prevista e em anos "seguidos ou interpolados, desde que a idade máxima do sujeito passivo não ultrapasse os 35 anos, inclusive".

Photo by Emmanuel Ikwuegbu on Unsplash
Photo by Emmanuel Ikwuegbu on Unsplash

Recibos verdes incluídos no IRS Jovem

Que benefício fiscal é este? A isenção será de 30% nos dois primeiros anos, de 20% nos dois anos seguintes e de 10% no último ano, com os limites de, respetivamente, 7,5 vezes o valor do Indexante de Apoios Sociais (IAS), 5 vezes o valor do IAS e 2,5 vezes o valor do IAS, respetivamente.

Até agora, este benefício fiscal abrangia apenas os trabalhadores por conta de outrem, mas passa também a incluir a partir de 2022 os rendimentos dos trabalhadores independentes, ou seja, dos jovens que passam recibos verdes.

Esta isenção apenas pode ser utilizada uma vez pelo mesmo sujeito passivo, prevendo a proposta do OE2022 que a identificação fiscal dos jovens que concluam em cada ano um dos níveis de estudos abrangidos, “é comunicada à Autoridade Tributária e Aduaneira nos termos a definir por portaria conjunta dos membros do Governo responsáveis pelas áreas das finanças, do ensino superior e da educação”.

O programa vai passar a ser automático, deixando de ser necessária a adesão por parte dos jovens.