Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

José Sócrates: Vale do Lobo e quinta de Duarte Lima no centro das novas suspeitas sobre o ex-primeiro ministro

Gtres
Gtres
Autor: Redação

O novelo de acusações e suspeitas em torno de José Sócrates não para de engordar. E muito do escândalo em que está envolvido o ex-primeiro-ministro socialista está relacionado com o setor imobiliário. Agora, estão na mira do Ministério Público a compra de lotes de terreno em Vale do Lobo, Algarve, e uma quinta em Sintra ligada a Duarte Lima.

Uma das novas acusações apresentadas pelo Ministério Público a José Sócrates durante o interrogatório do 27 de maio, teve exatamente a ver com esta quinta do ex-deputado social-democrata, segundo avança a Sábado. 

Quinta de Duarte Lima em Sintra

Depois da compra de vários terrenos pela sobrinha do ex-deputado social-democrata ter criado um escândalo mediático em 1995, a quinta foi vendida a uma offshore representada por um advogado do escritório do próprio Duarte Lima. 

A revista diz que esta offshore já foi detida por vários donos ao longo do tempo: e um deles foi o primo de Sócrates, José Paulo Bernardo, cujos negócios estão a ser escrutinados pelo Ministério Público. No entanto, a quinta já tem um novo dono, que também foi detido no âmbito da Operação Marquês. 

O Ministério Público suspeita, segundo a Sábado, que terá sido realizada uma operação financeira para ocultar a ligação a José Sócrates, que reagiu com ironia às acusações do procurador Rosário Teixeira. 

Corrupção na compra de terrenos de Vale do Lobo

A Justiça portuguesa pretende ainda saber como foram pagas várias empreeitadas no empreendimento algarvio, uma vez que, de acordo com a revista, o Ministério Público tem suspeitas de corrupção envolvendo José Sócrates.

Na mira da justiça está ainda um negócio de alegada compra de um terreno por 12 milhões de euros. Os investigadores encabeçados pelo procurador Rosário Teixeira pretendem descobrir o que aconteceu ao negócio que, em dezembro de 2007, levou a Lena Engenharia e Construções e a Oceano Clube a assinarem um contrato promessa relativo a esse mesmo imóvel.

Além disso, refere a revista, o Ministério Público está a tentar perceber como foram pagas várias empreitadas feitas em Vale de Lobo pela Abrantina, empresa de construção adquirida em 2007 pelo Grupo Lena, como refere a Sábado.

Investigações a empreendimento de luxo

A revista adianta ainda que o mandado de buscas realizadas a várias empresas referia que em 2007 foi anunciado pelo empreendimento de luxo a intenção de investir 500 milhões de euros em novas construções, existindo suspeitas de pagamentos "a funcionários e responsáveis políticos".