Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Nexo quer abrir 8 residências de estudantes em Portugal em dois anos

Visual Hunt
Visual Hunt
Autor: Redação

A Nexo Residencias acaba de anunciar um ambicioso plano estratégico, em que Portugal surge como mercado de aposta, a par de Espanha - onde já opera e quer reforçar -, e França - onde pretende entrar em 2021. O objetivo da empresa especializada em alojamento para estudantes é abrir em Lisboa e Porto, entre seis e oito residências, entre o próximo ano e o seguinte, num total de 4.000 camas sob gestão, distribuídas pelas duas cidades.

Propriedade do GSA, um grupo operado desde o Reino Unido com capital do Dubai, a Nexo vai realizar o investimento em Portugal e conduzir o negócio no mercado luso desde a sucursal espanhola, segundo conta o Eje Prime.

A estratégia de expansão internacional da Nexo surge depois da entrada como acionista maioritário do fundo norte-americano Harrisson Street e passa por ter entre 10.000 a 12.000 camas sob gestão dentro de três anos, entre Portugal, Espanha e França. 

Como opera este player internacional 

Deste total, metade das camas serão inseridas em residências próprias e as restantes em unidades geridas para terceiros – esta última uma área de negócio na qual ainda não está presente, mas na qual se quer estrear a partir do próximo ano. "Temos três estratégias de negócio: a aquisição de imóveis, a promoção de residências e a gestão", sendo indica Christopher Holloway, diretor-geral a Nexo em Espanha, citado pelo Eje Prime.

A GSA e a Harrisson Street criaram uma joint-venture em Espanha para investir até 750 milhões de euros. Concluída em abril, a operação foi formalizada com um investimento de 200 milhões de euros da Harrisson na Nexo.

Entre residências já em operação e em desenvolvimento, a empresa tem em carteira 2.400 camas, um valor que pretende duplicar até ao final do ano. Sevilha, Pamplona e Bilbao, em Espanha, serão outros dos mercados onde está a analisar oportunidades.

Atualmente, a Nexo tem quatro residências em funcionamento na Comunidad de Madrid, três das quais na capital espanhola e uma em Alcalá de Henares. Em setembro serão inauguradas outras duas residências em Barcelona, atualmente em fase de obras, estando também previsto para janeiro de 2020 o lançamento da obra de uma outra em Valência, a erguer num terreno recentemente comprado.