Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Costa Terra muda de mãos: projeto turístico sai da família Queiroz Pereira e fica com americanos

Praia da Galé, em Melides / André Filipe/Unsplash
Praia da Galé, em Melides / André Filipe/Unsplash
Autor: Redação

Os norte-americanos da Discovery Land Company já são donos da Costa Terra, um projeto turístico localizado na freguesia de Melides, concelho de Grândola, com quatro quilómetros de frente de costa, que até agora era detido pela Semapa, a ‘holding’ da família Queiroz Pereira.

A escritura de compra e venda foi assinada esta quarta-feira (29 de maio) e o grupo norte-americano quer avançar rapidamente com o projeto, prevendo arrancar com os trabalhos de infraestruturação dos terrenos já na próxima semana, escreve o Jornal de Negócios.

Segundo a publicação, a Discovery Land Company esteve a negociar a compra da Costa Terra durante um ano, um processo que foi intermediado juridicamente pela sociedade de advogados liderada por Sofia Galvão, uma especialista em questões de território.

O grupo norte-americano, liderado por Mike Meldman, assume as dívidas que pertenciam à Costa Terra, tendo estabelecido acordos com o Novo Banco, BCP, BPI, Caixa Geral de Depósitos, Caixa de Crédito Agrícola e Montepio, bancos aos quais parcelas de terreno haviam sido dadas como garantias de empréstimos.

Projeto inicial será alterado

O projeto em causa tinha sido adquirido por Pedro Queiroz Pereira (empresário falecido em 2018) ao investidor suíço Andreas Reinhart em outubro de 2008, mas acabou por não sair do papel. 

A Discovery Land Company redesenhou a conceção da Costa Terra, empreendimento que ocupa uma área de 200 hectares e que na sua versão inicial contemplava a construção de três hotéis, quatro aldeamentos turísticos, 204 moradias e um campo de golfe, estimando-se então um investimento de 510 milhões de euros. Ao que tudo indica, o projeto terá menos moradias e os lotes terão ima área maior. 

De referir que o grupo norte-americano, que foi criado em 1994, é especialista no desenvolvimento de ‘resorts’ de luxo, sendo esta a sua primeira aposta na Europa. Até agora, o seu portefólio incluía apenas ‘resorts’ nos EUA, México, República Dominicana e Bahamas, num total de 23.