Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Novo Banco injeta (mais) 36,2 milhões de euros no terreno das Amoreiras

Google Maps
Google Maps
Autor: Redação

O Novo Banco vai gastar mais 36,2 milhões de euros para desenvolver o terreno que detém na zona das Amoreiras, em Lisboa, e que poderá albergar a sua futura sede. Um montante que se soma aos 21,5 milhões de euros já investidos. 

Esta nova injeção será feita mediante um aumento de capital do fundo de investimento imobiliário fechado das Amoreiras, cuja deliberação será decidida em assembleia-geral, marcada para dia 10 de outubro, de acordo com a convocatória feita pela sociedade gestora, a GEF. 

Segundo o Expresso, o banco controlado pela Lone Star é o principal detentor das unidades de participação do fundo, que detém o terreno entre as Avenidas Conselheiro Fernando de Sousa e Duarte Pacheco e as Ruas Artilharia Um e Marquês da Fronteira. Terreno esse que está avaliado em 160 milhões de euros.

“Este reforço de capital pretende dotar o fundo para fazer face aos encargos que se preveem do desenvolvimento do projeto (todos os processos administrativos e de preparação) e, após aprovação do mesmo, início de execução das infraestruturas”, disse fonte do Novo banco, citada pela publicação. 

O terreno em causa é uma das hipóteses para a construção da nova sede do Novo Banco, atualmente na Avenida da Liberdade, não havendo ainda uma decisão final sobre o tema.

Recorde-se que o imóvel foi parar ao banco, de que o Fundo de Resolução é acionista, porque tinha sido o BES a financiar a empresa de promoção imobiliária Temple, de Vasco Pereira Coutinho. Na altura, o reconhecimento da hipoteca foi concretizado através de um aumento de capital do fundo de 163 milhões de euros, em 2015. Nos anos seguintes, houve dinheiro fresco do banco a entrar no fundo para assegurar a sua manutenção e atividade para futuro desenvolvimento imobiliário. Em 2016 e 2017, foram colocados 21,5 milhões de euros, tendo sido a entidade liderada por António Ramalho a assegurar as injeções.