Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

BCP coloca Bayview Sesimbra à venda por 2,5 milhões de euros

Banco analisará propostas de compra até às 17h do dia 8 de novembro de 2019.

Captura de ecrã via Youtube
Captura de ecrã via Youtube
Autor: Redação

O projeto Bayview Sesimbra, localizado na vila com o mesmo nome, a pouco quilómetros de Lisboa, está à venda por 2,5 milhões de euros. Trata-se de uma propriedade com 4.500 metros quadrados (m2) que integra os apartamentos turísticos Varandas da Falésia e que está a ser comercializada pelo Millennium bcp. O banco analisará propostas de compra para este ativo até às 17h do dia 8 de novembro de 2019.

Em causa está um empreendimento turístico da década de 80 que funcionou durante vários anos em três edifícios distintos. Em 2007, terá obtido um licenciamento para a desagregação do imóvel em destaque dos demais, delimitando-o a 47 unidades de alojamento almejando a classificação de quatro estrelas, escreve o Público.

Segundo a publicação, o ativo encontra-se no estremo nascente de Sesimbra, na Estrada de Argéis, sobre uma falésia sobranceira à Praia da Califórnia.

“Embora se desenvolva horizontalmente ao mar, a uma distância de 130 metros, a verdade é que obriga a um percurso de 1,5 km para se chegar à praia, um facto que é amplamente compensado pelo facto de estar a uma cota elevada e dispor de uma vista deslumbrante sobre o mar e a Baía de Sesimbra”, refere o jornal. 

O edifício está abandonado e, segundo o BCP, a obra, licenciada pela Câmara Municipal de Sesimbra, encontra-se há já algum tempo parada. Ao que tudo indica, o projeto de arquitetura, aprovado em 2010, manteve as 47 unidades de alojamento inicial, sendo intenção do anterior promotor incrementar para 57. 

“O empreendimento tem previsto vários serviços, tais como piscina interior e exterior, ginásio e sala de conferências, os quais elevarão ainda mais o interesse no mercado turístico”, disse Ramiro Gomes, responsável de vendas Grandes Imóveis Sul da Direção de Crédito Especializado e Imobiliário do Millennium bcp, citado pela publicação.

“A venda vai ser feita diretamente pelo banco, porque acreditamos que atrairá várias manifestações de interesse e propostas de compra. Quanto a canais de divulgação, utilizaremos lista própria de investidores que temos conhecimento de estarem à procura deste tipo de ativo e contaremos também com o habitual apoio da rede comercial do banco e de parceiros de negócio”, acrescentou.