Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

NPL a despertar interesse dos investidores: Arrow cria fundo de até 2.000 milhões

Grupo dono da Whitestar e da Norfin em Portugal conta com a ex-ministra das Finanças, Maria Luís Albuquerque, na administração

Autor: Redação

O mercado de NPL (da sigla inglesa 'non performing loans') continua a despertar o interesse dos investidores e a animar o mercado, nomeadamente, na área do imobiliário. Agora, foi a vez da dona da Whitestar Asset Solutions e da Norfin em Portugal, decidir lançar um fundo de investimento pan-europeu destinado à compra deste tipo de ativos da banca. O objetivo da Arrow - que conta com a ex-ministra das Finanças, Maria Luís Albuquerque na administração - é chegar aos dois mil milhões de euros até ao final de 2020.

O fundo em causa terá a duração de oito anos, arrancando com uma dotação inicial de 838 milhões de euros, e participam nele alguns dos maiores investidores mundiais, com origem em diferentes setores. O próprio grupo Arrow é co-investidor com uma participação de 24,9%, segundo informa em comunicado.

Para a Arrow, a criação do fundo tem um duplo sentido: permite uma desalavancagem mais rápida e gera oportunidades para crescer na área de gestão de ativos. "Este primeiro fundo está a ser um sucesso e será transformacional para o Grupo. Por um lado, mostra que estamos a ser bem sucedidos na estratégia de transformação do nosso negócio, ao desenvolvermos capacidades ao nível da gestão de fundos", explica Lee Rochford, CEO do Grupo Arrow Global, citado na mesma nota.

O mercado de malparado em Portugal tem vindo a destacar-se por um forte dinamismo, decorrente do grande esforço dos bancos - imposto pelas autoridades - para reduzir a exposição dos balanços a estes ativos problemáticos, a par de algumas vantagens competitivas face a outros mercados, como o espanhol.

Este ano a banca portuguesa vendeu perto de 5.000 milhões em NPL, havendo em curso operações no valor de 800 milhões. Por exemplo, o Novo Banco anunciou em setembro que vendeu a carteira Nata 2, no valor de cerca de 1.300 milhões de euros, à Davidson Kempner. E a Caixa estava a fechar a venda do projeto Mars 2, no valor de 100 milhões de euros.

E mais vendas são esperadas para estes próximos anos, atendendo a que o sistema financeiro português conta ainda com mais de 20.000 milhões de euros em crédito em incumprimento, segundo os dados mais recentes do Banco de Portugal.